Líder do PT e com palco global, Haddad traça saídas para a democracia

Alçado à condição de liderança global, Fernando Haddad afirmou em Nova York que “as democracias estão sendo corroídas por dentro” e que “o combate deve ser feito em nível internacional”. A convite de Bernie Sanders e de Yánis Varoufakis, Fernando Haddad participou do lançamento da Internacional Progressista, aliança mundial em defesa da democracia idealizada por Sanders. Realista, ele disse: “”Não vamos ficar encantados conosco. Nós estamos perdendo o jogo e temos muito trabalho a fazer.”

A fala de Haddad revelou um pouco o clima que permeia a movimentação internacional em busca de um discurso de reafirmação da democracia. Ele afirmou que é preciso “reverter o atual populismo de direita identificado nos Estados Unidos, em países europeus como Áustria e Suécia e no Brasil será um desafio intelectual que vai exigir humildade, afirmou, na noite deste sábado (1º), Fernando Haddad (PT), candidato à Presidência derrotado nas eleições.”

E acrescentou: “não podemos ser arrogantes de imaginar que temos as respostas prontas para desafios tão complexos. Uma dose de humildade, mas uma humildade que não paralisa, que estimula a buscar alternativas rápidas que possam ser oferecidas a uma população que deseja um mundo novo. Ela só não sabe qual.”

Haddad ainda falou sobre o cenário internacional das democracias sob risco: “há uma preocupação das forças democráticas mundiais sobre o que se passa na América do Sul, na Europa Oriental, e agora a gente vê que vai chegando nos EUA e mesmo na Europa Ocidental sinais já marcantes na Áustria, na Suécia e, agora, na Itália, de que há problemas de toda ordem acontecendo”.

E sobre o brexit: “se eles utilizarem os mesmos métodos que utilizaram no ‘brexit’ [saída do Reino Unido da União Europeia], aqui na eleição do [presidente Donald] Trump, da eleição do Bolsonaro, nós podemos ter problemas em países que são a última fronteira democrática que ainda resiste. E ninguém quer um mundo obscurantista.”

Veja mais trechos da fala de Haddad em Nova York:

“Não vamos ficar encantados conosco. Nós estamos perdendo o jogo e temos muito trabalho a fazer”, afirmou.

“Aumentou o medo do outro, não importa quem seja esse outro.”

“A sociedade se encontra desnorteada e se vira para populistas fascistas que prometem resolver todos os problemas. Isso toma formas diferentes em lugares diferentes.”

“A esquerda focou em renda, enquanto a direita focou em riqueza, em aproveitar terras e riqueza, como se discutíssemos besteira”, afirmou. “Uma abordagem gradual de reforma sempre vai favorecer os ricos. Nós precisamos discutir redistribuição de riqueza.”

“Do mesmo jeito que os indígenas estão inseguros, que os tratados internacionais sobre meio ambiente estão em risco, que a comunidade LGBT está em risco, hoje você não tem, no Brasil, segurança de liberdade de cátedra.”

“Ou seja, há ações judiciais neste momento sendo movidas contra associações de professores, no caso do Ceará, por terem feito um grupo de combate ao fascismo.”

Fonte: Brasil 247

https://www.brasil247.com/pt/247/brasil/376597/L%C3%ADder-do-PT-e-com-palco-global-Haddad-tra%C3%A7a-sa%C3%ADdas-para-a-democracia.htm

Comentários

comentários