Lançamento de Resurrección em João Pessoa, PB, dia 18 de setembro de 2009

O texto a seguir será distribuído no lançamento de Resurrección no dia 18 de setembro de 2009, às 20 hs, na sede social da ADUFPB-JP, em João Pessoa, PB.

Instruções para ler Resurrección
, um livro de crônicas e poemas de Rolando Lazarte, compilado por Maria Helena Rodrigues de Oliveira a partir de textos do autor publicados em internet.

Em primeiro lugar, querido leitor ou leitora, se prepare para ler um texto em português e espanhol, frequentemente em portunhol embora não stricto sensu, em que as palavras aparecem não poucas vezes alinhadas fora da margem, com erros de revisão e até de tipografia. Errare humanum est e, a título de errata, tenha ésta por válida. Advertência preliminar, ou coisa que possa vir a ser ou a ter o lugar desta, estas palavras são uma tentativa do autor de evitar reclamações posteriores à aquisição do exemplar, do tipo, como vende no Brasil um livro em espanhol, mas aqui está escrito, mas as margens, mas os erros, mas. Se esperamos a perfeição não publicamos, e preferimos chegar aos leitores/as desse jeito, do que não chegar. O preço é pouco, dez reais, e não reclame, viu? O conteúdo compensa, e se não compensa, paciência. Ao menos, em poucas horas, você poderá decidir presentear alguém com um exemplar artesanal de uma obra singular que, entre outras coisas, pretende divertir, acolher, rememorar, mas não só, e nem o tempo todo. Dar testemunho, sem a pesadez do discurso, com a leveza da experiência, da vivência que, a modo de diário, o autor desliza nas páginas que agora tens em mãos, querido leitor/a. Sobre tudo, se você pegar jeito, poderá descobrir que você pode fazer coisas assim ou melhores, diferentes, com seu próprio rosto e, quando sua vida terminar, como toda vida, individualmente, mas não globalmente, não na totalidade pois a vida é continuidade, constância, perdurar, quando a sua vida terminar, como toda vida termina, repito, você saberá que uma parte sua prossegue pelo mundo, desafiando a transitoriedade deste maravilhoso fato que é estar vivo e que, pela pressão da pressa, pela pressão das pressões suas ou de outrem que levam a privilegiar resultados e não processos, você ira descobrir que o que vale é isto, é o agora, esta hora que não volta. Um abraço e boa leitura. Como introdução já está longa demais, e desculpe qualquer coisa, viu?

[email protected]

http://rolandolazarte.blogspot.com/