Insônia

O sono não vem. Ou se foi e anda por aí, sabe Deus fazendo o que.

O caso é que a estas horas, algum acontecimento vindo dos meios de (des)informação ou algo no âmbito pessoal, deixou o sono um pouco mais para lá. Os livros em construção criam alguma ansiedade, sempre. Ao mesmo tempo que me dão uma sensação de ter tido uma vida fecunda nesse campo, tem também a ansiedade pelo que virá a ser. Será ou não será? Como será?

Medos, tenho tentado vencê-los pela confiança que nasce do amor. O amor é confiança. Sendo a essência do universo e a razão da minha vida, o amor é, com tudo, tão frágil! Um descuido pode pôr tudo em risco. Uma desatenção. Um trato brusco. Quem sabe não sejam estas –e algumas outras que a estas horas se me escapam– as razões do sono ter se ido um poco desta minha noite.

Resta a alegria de ter encontrado algumas pérolas no curso de formação em Terapia Comunitária Integrativa em Sinop, MT. Algo que posso resumir na letra “Y.” “E”, em português. Conjunção. Isto e aquilo. Algo em mim se ajeitou de uma maneira muito benéfica, nessa reunião. Algo que vinha me doendo de há muito tempo, encontrou o seu lugar, numa roda de conversa.

Fez sentido. Aquele ontem doído e o que hoje faço no sentido da recuperação da identidade, construção de vínculos solidários, empoderamento, e muitas outras cositas, encontraram seu lugar. A vida recomeça de si mesma, em si mesma.

Share

Comentários

comentários