Indígenas dão início à campanha de proteção à floresta, mas autoridades não comparecem

Por Mariana Borgerth, para o Consciência.Net, de Belém

Era grande o clima de insatisfação entre os indígenas brasileiros nesta quinta feira, devido a ausência do presidente da Fundação Nacional do Indio (FUNAI), Marcio Meira, e de representantes do governo durante o lançamento da campanha pela preservação da floresta e da cultura indígena.

O lançamento aconteceu na quarta (28) na tenda dos povos indígenas do Fórum Social Mundial e segundo os organizadores, todas as autoridades envolvidas haviam sido convidadas, mas apenas estiveram presente um representante ministério público federal e o chefe de gabinete da FUNAI, que não participou das discussões alegando que não havia recebido um convite formal. Informação que foi negada pelos indígenas.

Para o vice-coordenador das Organizações Indígenas Brasileiras (COIAB), Marcos Apurinã, a ausência representa um desinteresse por parte da FUNAI:

“O Fórum é uma oportunidade única, devido a possibilidade de falar com a população indígena que costuma permanecer nas aldeias. Estamos muito preocupados neste momento com os impactos de grandes obras, como o caso da hidroelétrica do rio Madeira, que afeta diretamente várias comunidades indígenas. Precisamos falar sobre isso”, afirmou Apurinã.

O cacique de uma aldeia localizada no alto Solimoes, Joselino Gaspar Farias, afirmou que era fundamental a presença de representantes do estado para avançar as discussões.

“Não muda em nada se ficarmos discutindo apenas entre nós, precisamos falar sobre como vamos resolver os problemas atuais dos indígenas, como a invasão de madeireiras, pescadores e grileiros. Queremos participar da preservaçao da floresta. Depois do que aocnteceu, muitos voltariam para casa antes mesmo do final do Fórum” – afirmou Farias, que demorou mais de quinze dias para chegar até Belém.

Ainda estão agendadas outras duas reuniões ao longo do Fórum. A partir desses encontros será produzido um documento, que deverá ser entregue as autoridades.

Share

Comentários

comentários