Impotência cidadã

Quando a oficina começou a martelar nos meus ouvidos e a agredir a minha respiração, mal sabia o que estava começando.

Foram quase cinco anos de um tipo de tortura que desconhecia. A tranqüilidade se fora. O meu tempo virara refém dos caprichos do vizinho que, a qualquer hora, decide pôr a serra ou o martelo para funcionarem.

Descobri não haver proteção de órgão governamental que funcionasse. Da última vez que telefonei para a secretaria de meio ambiente do município, o que ouvi foi deboche da coordenadora.

O responsável pelo barulho e a poluição do ar, quando questionado, é a pessoa mais ordeira do mundo.

Cumpre com todas as regulamentações e ainda faz você se envergonhar, diante de alguém tão considerado.

Foram já quase cinco anos de aprendizado, e não acabaram. Falar com amigos, orar, pôr som alto, assoviar, até xingar, que não é do meu feitio.

Nada deu certo, ou deu, sei lá. Deixo você com a interrogação.

Share

Comentários

comentários