I Encontro Estadual de Professores do MST é realizado no Rio de Janeiro

31197974346_d782e7912d_bPor Pablo Vergara

No encontro também foi demonstrada solidariedade com os movimentos sociais que estão sendo criminalizados, em especial o MST

Aproximadamente 60 pessoas entre professores, acadêmicos e universitários de diversas universidades federais, estaduais e Institutos e de escolas estaduais da rede pública de ensino se reuniram no I Encontro Estadual de professoras e professores com o MST.

O encontro, que foi realizado na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), teve o objetivo refletir sobre os rumos da educação dentro da atual conjuntura.

Nos debates, buscou-se também enfocar a avaliação, o planejamento e a sistematização dos projetos, visando os próximos programas de ensino ligados ao MST no estado do Rio de Janeiro, em especial o da escola estadual Bernardo Marins Gomes (ESES).

A Atividade debateu políticas públicas como o Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera), a JURA (Jornadas Universitárias em Defesa da Reforma Agrária), EJA (Escola de Adultos e Jovens), Graduações e Licenciaturas, Mestrados, Extensões, Residência Jovem, Residência Agrária, Curso de Realidade Brasileira, Curso de Filosofia, Bibliotecas Populares nos assentamentos, Estagio Interdisciplinar de Vivencia, entre outras experiências e espaços que foram inspirados no projeto político-pedagógico do MST.

Também foi analisada a atual conjuntura nacional e internacional, os avanços do conservadorismo e a crise internacional, que interfere diretamente no sistema de governo local.

Para Marina dos Santos, dirigente nacional do MST: “O avanço do conservadorismo mundial e do sistema financeiro internacional esta ligado a uma crise de valores ideológicos, que trazem um forte individualismo, machismo e xenofobismo em nível mundial”.

No encontro também foi demonstrada solidariedade com os movimentos sociais que estão sendo criminalizados, em especial o MST.

Ainda dentro das diretrizes citadas do encontro foram extraídos sete pontos importantes:

1- Unidade na luta de classes e da classe trabalhadora.

2- Métodos coletivos de luta, gerar sujeitos coletivos

3- Reformas estruturais, Reforma Agrária, Reforma Urbana

4- Comunicação contra hegemônica, fortalecer os coletivos de comunicação

5- Proteção aos bens da natureza

6- Nova estratégia de ação e novas agendas de luta

7- Lutar contra o estado de exceção, “FORA TEMER”, criar um frente de esquerda.

(25-11-2016)

Fonte: MST
http://www.mst.org.br/2016/11/25/i-encontro-estadual-de-professores-do-mst-e-realizado-no-rio-de-janeiro.html

Share

Comentários

comentários