Humanamente

Difícil permanecer em silêncio diante de manifestações de desumanidade que beiram a insanidade. Se alegrar com a morte do neto de Lula, um preso político, é não apenas covarde e canalha. É simplesmente tão baixo, que não desejo a nenhuma das pessoas que tem se alegrado diante deste fato, que passem por situação igual.

Uma coisa é a política, a divergência ideológica, de crenças ou pontos de vista. Outra coisa, muito diferente, é a ausência total de valores humanos, que algumas pessoas manifestam quando se sentem a salvo de qualquer punição.

Poderão permanecer impunes enquanto durar o atual estado de exceção no Brasil, sustentado por um judiciário criminoso, mas a história ensina que nenhum crime permanece impune com o passar dos anos, desde que haja um povo decidido a ir em busca dos direitos e da justiça.

O Brasil ainda vai julgar e condenar os crimes contra a humanidade cometidos durante a ditadura. As pessoas que hoje se escondem num inexistente anonimato das redes sociais, devem ser denunciadas e processadas. Os delitos contra a humanidade não podem permanecer silenciados, não importa qual seja a sua natureza ou o espaço em que ocorram.

Em outros tempos, as pessoas destituídas de qualquer qualidade moral, não faziam muita questão de serem vistas. Hoje, ao contrário, parecem até se orgulhar da sua nulidade. Mas essas pessoas precisam saber que a existência social impõe limites. Respeitar a morte, respeitar a liberdade, respeitar a divergência, são obrigações.

No Safernet podem ser denunciados crimes tais como a apologia e incitação a crimes contra a vida, xenofobia, pornografia infantil, neonazismo, racismo, violência ou discriminação contra mulheres, homofobia, intolerância religiosa: https://new.safernet.org.br/denuncie