Homilia do Papa Francisco na missa celebrada no Quênia

A Palavra de Deus fala às profundezas do nosso coração. Hoje, Deus nos diz que nós Lhe pertencemos. Ele nos fez, nós somos a Sua família e para nós Ele estará sempre presente.

“Não temam”, diz-nos Ele, “Eu os elegi, e prometo dar-lhes minha bênção.” Ouvimos esta promessa na primeira Leitura. O Senhor nos diz que vai fazer jorrar água no deserto, numa terra seca. Sim, Ele vai fazer com que os filhos do Seu povo floresçam como erva e como salgueiros exuberantes. Nós sabemos que esta profecia se cumpriu com a efusão do Espírito Santo em Pentecostes. Mas, também vemos que ela se cumpre onde quer que o Evangelho é pregago e onde novos povos povos tornam´se membros da família de Deus, a Igreja. Hoje nos rejubilamos porque se realiza nesta terra. Por meio da pregação do Evangelho, todos nos tornamos partícipes da grande família cristã.

A profecia de Isaías nos convida a olharmos para as nossas famílias, e a nos darmos conta de quanto são importantes no plano de Deus.

A sociedade do Quênia foi, desde muito tempo, abençoada com uma sólida vida familiar, com um profundo respeito à sabedoria dos anciãos e e com o amor para com as crianças. A a saúde de qualquer sociedade sempre depende da saúde das famílias. Para o bem delas e da comunidade, a fé na Palavra d Deus nos chama a apoiar as famílias na sua missão, ao interno da sociedade, de acolher as crianças como uma bênção para o nosso mundo e a defender a dignidade de todo homem e de toda mulher, posto que todos somos irmãos e irmãs na única família humana.

Em obediência à Palavra de Deus, também somos chamados a opor resistência às práticas que favorecem a arrogância nos homens, ferem ou desprezam as mulheres, não cuidam dos anciãos e ameaçam a vida dos inocentes nascituros. Somos chamados a nos respeitar e a nos encorajar uns aos outros, e a chegar perto de todos quantos se acham em necessidade. As famílias cristãs têm esta missão especial: irradiar o amor de Deus e derramar a água vivicante do Seu Espírito. Isto é particularmente importante hoje, pois assistmos ao avanço de novos desertos, criados por uma cultura do egoísmo e da indiferença para com os outros.

Aqui, no coração desta Universidade, onde as mentes e os corações das novas gerações têm sua formação, faço um apelo especial aos jovens da Nação. Os grandes valores da tradição africana, a sabedoria e a verdae da Palavra de Deus e o generoso idealismo de sua juventude os orientem no empenho de formar uma sociedade que seja cada vez mais justa, inclusiva e respeite a dignidade humana. Estejam sempre presentes em seus corações as necessidades dos pobres: recusem tudo o que leva ao preconceito e à discriminação, pois estas coisa – nós o sabemos – não são de Deus.

Todos conhecemos a parábola de Jesus sobre o homem que constrói sua casa sobre a areia, em vez de construí-la sobre a rocha. Quando os ventos sopraram, ela desabou e grande foi sua ruína. Deus é a rocha sobre a qual somos chamados a construir. Ele no-lo diz na primeira Leitura, e nos pergunta: “Há por acaso um deus fora de Mim?”

Quando Jesus Ressuscitado afirma no Evangelho de hoje: “A mim foi dado todo o poder no céu e sobre a terra”, diz-nos que Ele mesmo, o Filho de Deus, é a rocha. Não há ninguém, além dEle. Único Salvador da humanidade, deseja atrair a Si homens e mulheres de qualquer tempo e lugar, para leva-los ao Pai. Ele quer que todos nós construamos nossa vida sobre o sólido alicerce de Sua Palavra.

Eis o compromisso que o Senhor propõe a cada um de nós. Pede que sejamos discípulos missionários, homens e mulheres que irradiem a a verdade, a beleza e o poder do Evangelho que transforma a vida. Homens e mulheres que sejam canais da graça de Deus, que permitam à Sua misericórdia, benevolência e verdade que se transformem em os elementos para construir uma casa que permaneça sólida. Uma casa que seja um lar, onde irmãos e irmãs vivam finalmente em harmonia, em respeito recíproco, em obediência à vontade do verdadeiro Deus que, em Jesus, nos mostrou o caminho em direção àquela liberdade e àquela paz a que aspiram todos os corações.

Que Jesus, o bom Pastor, a rocha sobre a qual construímos nossas vidas, os guie e as suas famílias, no caminho do bem e da misericórdia, todos os dias de sua vida. Que Ele abençoe todos os habitantes do Quênia, na paz.

“Sejam fortes na fé! Não tenham medo!” Porque vocês pertencem ao Senhor.

http://it.radiovaticana.va/news/2015/11/26/messa_del_papa_a_nairobi_materialismo_e_indifferenza/1189649
Trad.: AJFC