Haiti: arquivo 2004

Ex-sargento convoca à luta armada contra o governo

“Convocamos os ex-militares de todo o país a organizarem a guerrilha e a dar uma resposta a este governo”. Assim, o ex-sargento do Exército, Ravix Rémissainthe, conclamou à luta armada contra o governo interino de Porto Príncipe, dia 20, depois de uma semana de tensões e novas desordens. Autoproclamando se chefe de um grupo de ex-soldados, protagonistas, no dia 16, da ocupação da antiga residência do ex-presidente Jean-Bertrand Aristide, Rémissainthe acusou as forças policiais, encarregadas de manter a ordem no Haiti, de ter fracassado na sua missão...Brasil de Fato, 23/12

Missão internacional deve ficar no Haiti por mais seis meses

O Conselho de Segurança da Nações Unidas acaba de renovar por mais seis meses a duração da Missão Internacional de Estabilização do Haiti (Minustah), comandada pelo Brasil..Adital, 30/11/2004

Por que devemos sair logo do Haiti

Em 29 de fevereiro de 2004, Jean-Bertrand Aristide, 50, foi forçado por tropas franco-estadunidenses a deixar o país, sendo enviado para a República Centro-Africana, aliada submissa dos USA. O defenestramento do presidente constitucional do Haiti foi repudiado publicamente pela CARICOM, associação dos países do Caribe. Para a surpresa geral, o governo Lula da Silva acolheu prontamente o convite do presidente republicano George Bush, feito semanas após a intervenção, para que o Brasil capitaneasse a força internacional de ocupação daquele país, que tomaria o lugar das tropas estadunidenses empregadas na deposição de Aristide. Por Mário Maestri, outubro de 2004

Rumsfeld elogia ação no Haiti

O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Donald Rumsfeld, tendo apoiado o golpe de Estado local, elogiou ontem, em Quito, no Equador, a missão de paz da ONU liderada pelo Brasil no Haiti. Rumsfeld citou-a como um “exemplo de cooperação regional” uma vez que, além de militares brasileiros, dela participam argentinos, chilenos, uruguaios, peruanos, bolivianos e equatorianos. Leia matéria de O GLOBO de 18/11/2004 com a saudação do assassino norte-americano Rumsfeld.

Haiti: Chuteira, Coturno e Imperialismo

A proposta esdrúxula do primeiro ministro Gérard Latortue era simples. O atual procônsul do Haiti, nomeado após a deposição, em 29 de fevereiro de 2004, de Jean-Bertrand Aristide, pelas tropas militares franco-estadunidenses, sugeria utilizar a simpatia popular pela seleção canarinha para facilitar a aceitação de sua designação, da intervenção franco-estadunidense e das tropas auxiliares de ocupação brasileiras. (…) Na ótica servil e elitista do Itamaraty, o merchandising futebolístico constituía extensão do envio de tropas ao Haiti como meio de obter as boas graças estadunidenses para a proposta de ingresso do Brasil como membro permanente do Conselho de Segurança da ONU. Ou seja, tudo no espírito “é dando que se recebe”. Por Mário Maestri, agosto de 2004

Chávez propõe formação de Assembléia Constituinte no Haiti

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, afirmou que a XVIII Reunião dos Chefes de Estado e de Governo do Grupo do Rio está sendo muito interessante porque estão sendo discutidos assuntos importantes como a questão do Haiti. Ele afirmou que a Venezuela propôs a convocação de uma Assembléia Constituinte para dar soberania ao povo do Haiti...Agência Brasil, 4/11

Ajuda econômica permanente tenta evitar ação militar extrema

Apoio humanitário concreto e prolongado ao Haiti domina discussões da 18ª Reunião de países latino-americanos e caribenhos que integram o grupo do Rio, ao mesmo tempo em que o Brasil, responsável pela missão de paz no país, enfrenta turbulências internas e externas nos assuntos de defesa..Adital, 4/11

Migrantes haitianos recebem solidariedade de jornalistas

Jornalistas haitianos e dominicanos se reuniram para aumentar a solidariedade entre as duas nações vizinhas e impulsionar nos meios de comunicação um tratamento diferente aos processos migratórios. Entre as resoluções se encontram o incentivo à criação de um centro de informação binacional e uma rede de jornalistas dominico-haitianos...Adital, 4/11

General vincula violência a declaração de Kerry

Em entrevista exclusiva, general Augusto Heleno Ribeiro afirma que apoio de candidato norte-americano ao ex-presidente Jean Bertrand Aristide criou expectativa em determinados grupos no país..Agência Brasil, BBC Brasil, 15/10

Amorim pede mais forças para pacificar Haiti

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, voltou a se queixar ontem dos problemas enfrentados pelo Brasil no comando das forças de paz da ONU no Haiti. Amorim disse que há 2.600 homens, quando o combinado eram 6.700 e lamentou que, por causa da burocracia, faltem recursos para a recuperação do país caribenho...O Globo, 15/10

Sem porto, Haiti pode sucumbir com a fome

Distribuição de alimento está comprometida no país devido ao estado do porto de Gonaïves, cidade mais atingida pela tormenta tropical Jeanne no mês passado..Adital, 11/10

Fome e armas desafiam tropas

Enquanto parte da tropa brasileira enviada ao Haiti se desdobra na cidade de Gonaives para conter o avanço de civis famintos sobre a água e os alimentos enviados às vítimas do furacão Jeanne, os militares que permanecem na capital, Porto Príncipe, se concentram em outra frente: o recolhimento das armas ilegais usadas pela população...O Globo, 29/9

População está sem ação, diz general brasileiro

Para Augusto Heleno Pereira, chefe da Missão de Estabilização da ONU, população sofre conseqüências da tempestade tropical Jeanne, que matou mais de mil pessoas. Brasil enviou remédios ao país..Agência Brasil, 23/9

Hospital de Gonaïves volta a funcionar

Gonaïves, principal cidade haitiana atingida pela tempestade tropical Jeanne, está com o maior hospital da região novamente em funcionamento, para atender principalmente feridos vítimas de desabamentos que continuam mesmo após o fim das chuvas..Adital, 22/9

Tempestade tropical Jeanne mata 500 pessoas

Tempestade tropical deixa submersas 80% das casas em cidade do norte do país...O Globo, 21/9

Confirmada perspectiva de novos confrontos no Haiti

As forças de paz da Organizações das Nações Unidas (ONU), comandadas pelo Brasil, começam a trabalhar com a possibilidade de confrontos com grupos armados haitianos que se opõem a presença da coalizão internacional. Se acumulam incidentes e ameaças envolvendo ex-militares haitianos, que estão atacando representantes civis da missão de estabilização e mesmo guarnições das tropas dos países convocados para atuar na nação caribenha...Adital, 8/9

Dominicanos e haitianos discutem os efeitos do imperialismo

Durante dois dias, ativistas sociais e intelectuais do Haiti e da República Dominicana discutiram a problemática que envolve os dois países da ilha de Santo Domingo...Adital, 5/7

Força internacional não trouxe segurança para os haitianos

Em seu mais recente relatório intitulado “Haiti – Breaking the Cycle of Violence – A Last Chance?” (Rompendo o Ciclo da Violência – A Última Chance?”), a Anistia Internacional se mostra crítica com a atuação da Força Multinacional Provisional (FMP), que durou três meses no país. Acrescentou que ainda não há segurança no país e que se vive precisamente em um verdadeiro estado de anarquia absoluta...Adital, 21/06

Brasileiros estão sujeitos a lei internacional

Os militares brasileiros que integram a força de estabilização da ONU no Haiti vão responder, no Tribunal Penal Internacional (TPI), pelos eventuais abusos cometidos contra prisioneiros de guerra e a população civil. A possibilidade é possível porque, embora tenha ratificado o Estatuto de Roma em 2002, o Brasil não tem legislação própria na área. “O anteprojeto ficou parado na Casa Civil o ano passado inteiro”, lamenta o jurista Tarciso Dal Maso Jardim, consultor do Senado...Brasil de Fato, 03/06

Mortos em enchentes chegam a 1.660

Governo pede ajuda para lidar com catástrofe que atingiu o país e a República Dominicana. Forças de paz prestam auxílio...O Globo, 27/05

Prisão de ativista gera mobilizações

A detenção de Anne Auguste, mais conhecida como irmã Anne, em Porto Príncipe, pelos soldados estadunidenses, vem mobilizando vários segmentos no Haiti e nos Estados Unidos. Para exigir a libertação da cantora e colaboradora do governo do ex-presidente Jean-Bertrand Aristide, está sendo programada uma greve mundial de mulheres...O Globo, 27/05

O que há com o Haiti?

Noam Chomsky comenta sobre como o governo dos EUA e da França desrespeitaram tudo o que pode ser tido com “democrático” ao realizar suas operações no Haiti. Leia outros textos. Março de 2004..[+]

Direto do Haiti

“Ontem, tropas brasileiras dispararam, por solicitação do comando militar norte-americano, matando 15 civis haitianos. Vinte soldados brasileiros ficaram feridos, todos sem gravidade, mas a ordem de desalojar os centenas de haitianos que haviam tomado uma das pontes de acesso a Porto Príncipe foi cumprida com sucesso. Entre os mortos haitianos havia uma mulher e seus dois filhos menores.” Felizmente essa notícia não é verdadeira. Mas infelizmente pode vir a ser. Por Emir Sader, Agência Carta Maior, 8/4/2004

Haiti em chamas

Outras Palavras, 13 de fevereiro, 2004. Entrevista com Pierre Charles – líder da luta haitiana pela renúncia do presidente Aristide – que não tem laços com o ”exército canibal”.

Aristide acusa os EUA de tê-lo seqüestrado

Da África, ex-presidente denuncia sua captura a congressistas a advogado e à TV. Do Jornal do Brasil, 2/3/2004..[+]

Haiti: um país em decomposição

Emir Sader, 10 de fevereiro, 2004. Depois de ser colonizado, de ter a população massacrada, de Papa e Baby Doc, o Haiti morre, condenado pelas leis de mercado..[+]

Revista diária fundada em 13 de maio de 2000.

Seções: Mundo. Tags: , .