Grupo de militares em Madagascar afirma ter tomado o controle da ilha

Mapa de Madagascar. Imagem: Wikipédia.Um coronel que apoiou um golpe de Estado em Madagascar no ano passado afirmou hoje que ele e outros oficiais assumiram o governo da ilha.

O coronel Adrianasoavina estava acompanhado do chefe de segurança do Presidente que ajudou a derrubar no ano passado quando fez a declaração a jornalistas, em uma base militar perto do aeroporto. Estava presente também um general que foi chefe militar de Andry Rajoelina, líder político que assumiu o poder no ano passado. Segundo o Portal Terra, Rajoelina chegou ao poder após derrubar Marc Ravalomanana com apoio militar e pretende aprovar uma Constituição que lhe permita permanecer indefinidamente no poder, até a realização de eleições cuja data não está fixada.

O jornal francês Le Monde fala apenas em uma “tentativa de golpe”, sem sinais de ocupação militar do governo.

Em reportagem no site noticioso Orange Madagascar (via BBC), porém, o presidente negou ter deixado o poder e disse que foi ameaçado por militares. “Eu pessoalmente recebi ameaças de morte. Coronéis que eu não conheço me disseram que me matariam se eu não renunciasse. Eu não renunciarei, não tenho medo. Tenho fé”, disse o presidente.

Madagascar, país africano que compreende a Ilha de Madagascar e algumas ilhas próximas, está situado ao largo da costa de Moçambique, da qual está separado pelo Canal de Moçambique.

A recente crise política envolveu uma série de manifestações antigovernamentais no início de 2009, culminando no envolvimento militar e na posse do líder oposicionista Andry Rajoelina para a presidência do país. Os protestos começaram em janeiro de 2009 e derrubaram o então presidente Marc Ravalomanana.

Violentos, os protestos foram organizados e liderados por Rajoelina, que era o prefeito da capital do país, Antananarivo, e um proeminente opositor do presidente. Pelo menos 130 pessoas foram mortas durante as manifestações, vistas como parte do mais sério desafio enfrentado pelo governo de Ravalomanana desde que ele chegou ao cargo, em 2002.

(Do Consciência.Net, atualilzado às 23h42, com Reuters, Terra e Agência Lusa)