Famílias da ocupação William Rosa são reprimidas pela PM durante acampamento no TJMG

minasTruculência não esmoreceu a luta dos moradores da Ocupação que garantiram presença do governo em mediação sobre o terreno

As famílias da Ocupação William Rosa realizaram na quarta-feira (19) um ato no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), e decidiram acampar em frente ao local. Os moradores reivindicavam uma reunião com o presidente do órgão para que reveja a instancia que julgou como desfavorável um recurso dos ocupantes, mantendo, portanto, a liminar de reintegração de posse do terreno para o CEASA, julgada no último dia 13 de março.

Os moradores da William Rosa foram agredidos com bombas e spray de pimenta ao tentarem ser recebidos no escritório da presidência. Estilhaços de bomba que feriram os manifestantes e queimou o colchão de uma das moradoras da ocupação.

Com a chegada da imprensa e denúncias dos moradores, a PM se dispôs a fazer os boletins de ocorrência das violações, ações violentas e excessos cometidos por sua própria tropa contra os lutadores da ocupação William Rosa.

A truculência da policia, no entanto, não esmoreceu a luta dos moradores da Ocupação William Rosa que conseguiram reverter a ausência do governo federal na próxima reunião sobre o interesse social do terreno onde se encontra a ocupação.

O governo federal havia cancelado sua presença na reunião do dia 21 de março entre os estados, prefeituras e ocupações urbanas, alegando que não conseguiu comprar passagem área. A reunião já estava marcada a mais de um mês.

O assessor da Secretaria Geral da Presidência, Wellington Pantaleão, já entrou em contato com os coordenadores da ocupação e do movimento luta popular para confirmar sua presença na reunião.

Fonte: CSP-Conlutas