Eu amo porque…

Jesus amaComo você completaria essa frase?

“Porque ele me faz bem, porque ela faz o que eu gosto, porque me sinto importante, útil, amado, valorizada, respeitado, bonita, ouvido, acolhida”?

Será que essa resposta é influenciada por egoísmo, mercantilismo ou outro interesse escuso?

Bem, quando uma pessoa só tem valor conforme o que ela nos traz, produz ou consome, perderam-se a dignidade e a ética humanas e restou apenas a barbárie, que coloca seres humanos como “deuses” a serem adorados ou utilitários a serem descartados ou passíveis de sobreviver à base de migalhas… Perde-se o igualitarismo e a horizontalidade em que todos são irmãos… é desumano…

De fato, houve um ser humano que soube amar de verdade e nos deu um único “porque” válido: “Nós amamos porque ele nos amou primeiro” (1 João 4.19).

Deus nos amou e por isso amamos… simples assim!

Mey Pestana é cirurgiã-dentista (FOUSP/1983), Especialista em Aconselhamento e Psicologia Pastoral (EST/2011), Bacharel em Teologia (SBN-FACETEN/2013), Terapeuta Comunitária Integrativa (ABRATECOM/2013), Mestre em Ciências das Religiões (PPGCR-UFPB/2017). Brasileira, caçula de quatro filhos de família imigrante da Indonésia (1960). Casada há 33 anos com Álvaro Cesar Pestana, mãe de Lucas (32) e Gabriela (26). Palestrante e facilitadora de rodas de TCI em Seminários e encontros femininos em todo o país. Aprecia a fé, a arte, boas leituras e amizades.

Seções: Atitude!, Direitos Humanos, Economia, Justiça & Direito, Opinião. Tags: , , , , .