Especialista destaca importância de pesquisas em políticas da informação

Especialista destaca importância de pesquisas em políticas da informaçãoMonike Mar, da Agência UFRJ

A importância de pesquisas em políticas da informação na esfera governamental foi o tema central, nesta segunda-feira, dia 30, da terceira palestra do III Seminário de Pesquisa em Ciência da Informação. Intitulada “Pesquisa em Política da Informação nos níveis micro e macro: questões, métodos e instrumentos” a aula foi ministrada pela Professora do Departamento de Comunicação de Wisconsin (EUA) Sandra Braman.

A palestrante citou o curioso caso de um bairro da comunidade de Nova Jersey, nos EUA, onde foi verificada uma migração interna dos habitantes. Eles se mudavam frequentemente para outras residências na mesma rua ou no mesmo bairro. Oriundos da classe média e baixa, os moradores tinham despesas altas com as operadoras, que os questionavam por não saber utilizar os serviços. A maioria era assinante dos planos mais caros oferecidos pelas empresas de telecomunicação da região. Depois de um tempo, os serviços eram cortados.

Diante desse fato, os pesquisadores procuraram conhecer de perto a realidade do bairro para descobrir as causas da transitoriedade dos habitantes e da grande quantidade de devedores. As descobertas surpreenderam: para evitar que os filhos se envolvessem com drogas e violência nas ruas, os pais passaram a contratar serviços de Internet e TV a cabo para entretê-los dentro de casa. Não conseguindo pagar os débitos, os moradores endividados tinham, como conseqüência, os serviços cortados, sendo obrigados a mudar de residência. A noção das empresas era equivocada em relação aos moradores, pois as causas evidenciavam que suas atitudes não tinham relação com uma falta de conhecimento ou ignorância.

“Lidar com informações e avaliá-las é fundamental na esfera política atual”, afirma Sandra. Para ilustrar este raciocínio, citou a campanha eleitoral de Barack Obama, para a qual foram contratados especialistas em pesquisas de informação. Segundo Sandra, que se dedica, desde os anos 80, ao estudo do uso de tecnologias da informação e suas implicações políticas, há uma necessidade crescente em tomar decisões a partir de pesquisas. A palestrante apresentou diversos métodos de pesquisa sobre um determinado assunto, cabendo ao pesquisador a tarefa de selecionar os mais adequados para encontrar respostas de perguntas básicas, como, por exemplo: “por que fazer essa pesquisa?”, “O que estou procurando?”.

A última palestra acontece no próximo dia 6, às 14h, no Auditório Manoel Maurício do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH). O endereço é Av. Pasteur, 250, campus da Praia Vermelha.

Professora americana aborda políticas estatais de informação
25/03/2009

Dando continuidade ao III Seminário de Pesquisa em Ciência da Informação, o Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da UFRJ realizou nesta segunda, dia 23, uma palestra com a professora norte-americana Sandra Braman, da Universidade de Wisconsin (EUA). O evento tem parceria do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) e do Programa de Pós-graduação em Informação e Comunicação em Saúde (ICICT/Fiocruz).

A partir do tema “Política de Informação e Regime de Informação: revisão crítica de arcabouços analíticos e conceitos”, Sandra analisou as possibilidades da atuação do Estado nas políticas de informação que regem o nosso cotidiano.

Segundo a professora, há diferentes níveis de políticas de informação. Ela exemplificou o caso de pais que limitam o uso de vídeo-game por parte dos filhos. Se nos Estados Unidos e no Brasil essa “política” restringe-se ao ambiente familiar, na China as restrições fazem parte da legislação que limita o tempo de uso dos jogos eletrônicos É por isso que Sandra ressalta a importância da governabilidade, determinante no regime de informação de um Estado.

“Pesquisa em Política da Informação nos níveis macro e micro: questões, métodos e instrumentos” é o tema da próxima palestra, que será realizada na segunda, dia 30, no Auditório Manoel Maurício do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH). O endereço é Av. Pasteur, 250, campus da Praia Vermelha.