ENCARA AÍ, ICARAÍ!!

Atenção Companheiras e Companheiros,

Chamo vocês a estarem conosco no Ato Público pela garantia da Parada LGBT de Niterói na Praia de Icaraí, nesta quinta-feira, dia 10 de setembro, às 17 horas, em frente à Prefeitura de Niterói (Rua Visconde de Sepetiba, 987- Centro- Niterói).

A Prefeitura de Niterói, na figura de seu prefeito Jorge Roberto da Silveira, NEGOU autorização para a realização da 5ª Parada do Orgulho LGBT de Niterói na Praia de Icaraí, no próximo dia 04 de outubro.
Há quatro anos, a Parada niteroiense vem sendo realizada neste que é o principal palco cultural-polí tico e de visibilidade da cidade, recebendo apoio da gestão anterior em estrutura e contribuições políticas. O evento conta com o apoio massivo dos comerciantes locais e moradores da redondeza. Além disso, nunca causou danos ao patrimônio público, desordem ou teve registro significativo de violência pelas autoridades públicas.

Com argumentos frágeis, questionando impacto no trânsito e perturbação da ordem, a Prefeitura de Niterói sugeriu a transferência da Parada LGBT para a Av. Amaral Peixoto, no centro da cidade.

No dia 01 de setembro, os grupos GDN e 7 Cores convidaram vários parceiros para discutir os próximos passos na estratégia de mobilização para a manutenção do evento em Icaraí. A reunião contou com a presença dos grupos Arco-Íris (Rio), Liberdade (São Gonçalo), Mover-se (Nova Friburgo), além da SUPERDir, e outras instituições. Após análises do cenário, ficou claro que o Prefeito Jorge Roberto vem sofrendo pressão dos setores conservadores da cidade para tal proibição. O movimento decidiu buscar um diálogo com o Prefeito, a fim de sensibilizá-lo para a manutenção do evento no seu local de direito.

Os impactos negativos da realização do evento na Av. Amaral Peixoto são muitos e podemos destacar os seguintes:

– Pouca extensão da via para a realização da marcha tendo efeito imediato no tempo de trajeto;

– Situar-se próximo aos 3 maiores hospitais da cidade, obstruindo a passagem de veículos e incomodando os pacientes em repouso;

– Ter ao entorno vielas e ruas escuras e inóspitas que contribuem para assaltos e outros atos de violência;

– Atrapalhar a locomoção de 24 linhas de ônibus que passam diariamente pela avenida.

Mas o principal impacto é a INVISIBILIDADE e a própria DESMOBILIZAÇÃO do evento. Afinal, emparedar a Parada LGBT entre os edifícios comerciais é impedir que a voz do Movimento LGBT ecoe para a sociedade niteroiense e fluminense.

niteroi

Não podemos permitir isso, pois se o Movimento LGBT de Niterói ceder, teremos um precedente que, com certeza, repercutirá em outros eventos de visibilidade LGBT no estado, reforçando os argumentos contrários às paradas, oriundos de nossos adversários. Ressalto ainda que Niterói, nos últimos anos tem sido palco de violência contra lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. Não podemos nunca esquecer o caso do jovem FERRUCCIO, espancado covardemente por um grupo de pit-boys e outras agressões contra companheiros e companheiras próximos a nós. A Parada LGBT nesta cidade tem um efeito crucial de trazer este tema à tona, contribuindo para o combate à homofobia e todo tipo de discriminação.

É nossa responsabilidade militante e tarefa de cada um/a, estarmos todos e todas lá, com nossas bandeiras, faixas e apitos, fazendo muito barulho. Acredito que muitos de nós teremos compromissos ou a distância se fará como impedimento, mas é essa a hora, é esse o front de batalha, e a presença de cada um/a faz a diferença.

JUNTOS SOMOS MAIS FORTES, e se cada um fizer o seu esforço pessoal a vitória será garantida. Além de celebrarmos essa conquista, estaremos de fato contribuindo para o crescimento e amadurecimento do Movimento LGBT de Niterói, que consolidou sua união, selando a paz entre seus principais grupos representantes. Essa é a grande cereja do bolo da comemoração.

Conto com a presença de vocês e os esforços em multiplicar esta convocatória.