Em apoio à reeleição de Dilma: nota da Direção Nacional do Centro de Estudos Bíblicos

t_2594_bandeira_do_brasilEm face do embate que se coloca neste segundo turno das eleições presidenciais e levando em conta a necessidade de nos engajarmos para garantir os avanços que a sociedade brasileira vive nos últimos anos, a Direção Nacional do Centro de Estudos Bíblicos – CEBI vem a público expressar sua opinião em favor da reeleição de DILMA ROUSSEF.

Mesmo sendo críticos aos limites do atual governo e do sistema político brasileiro, temos que reconhecer publicamente que nos últimos doze anos houve diminuição da fome e da miséria, valorização do salário mínimo, extensão dos direitos trabalhistas básicos às empregadas e aos empregados domésticos e melhoria nas condições de vida da população mais carente em todas as partes do Brasil, especialmente nas localidades mais pobres. O acesso de milhões de jovens empobrecidos ao ensino técnico e superior e a extraordinária ampliação do financiamento de moradias populares em todo o Brasil também devem ser mencionados, junto com o compromisso da presidenta atual com a realização da reforma política nos moldes pretendidos pela Coalizão pela Reforma Política Democrática e Eleições Limpas.

A Direção do CEBI segue questionando o modelo desenvolvimentista adotado por esse governo. É nosso dever empenharmo-nos mais fortemente na luta por uma profunda reforma política e continuar buscando a diminuição das desigualdades sociais, exigindo que os direitos da natureza e dos povos indígenas e quilombolas sejam respeitados, e que a partilha da terra seja retomada por meio da Reforma Agrária. Temos consciência, entretanto, que a outra candidatura, alinhada ao neoliberalismo, é ainda muito mais atrelada ao sistema financeiro e ao grande capital e apoiada por elites preconceituosas e anticristãs e que jamais assumirão tais projetos. Além disso, por ser defensor de um modelo ainda mais economicista, o outro candidato teria em sua possível eleição o risco de perda de direitos sociais e políticos e trabalhistas.

Por último, há que se ressaltar que a política externa adotada pelos governos Lula e Dilma foi mais autônoma frente aos interesses norte-americanos e mais respeitosa em relação aos países irmãos latino-americanos, com quem devemos seguir cada vez mais dialogando em exercício de solidariedade.

Fonte: CEBI
http://www.cebi.org.br/noticias.php?noticiaId=5177