EAD/FTC: Professores paralisam por salário

Faculdade da Bahia, com unidade na capital, não paga há três meses


Os professores da unidade pedagógica de Porto Alegre (rua Jerônimo Coelho, nº 277) da Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC EAD), da Bahia, estão em greve desde a última sexta-feira, 17 de abril, devido ao não recebimento de salário há três meses. A paralisação, por tempo indeterminado, foi definida em assembleia realizada pelo Sinpro/RS (Sindicato do Professores do Ensino Privado). A unidade de Porto Alegre tem 165 alunos.
Leia mais.

“Nesta semana até os coordenadores de curso aderiram à paralisação e somente voltarão ao trabalho quando tiverem sua reivindicação atendida”, afirma Cecília Farias, Diretora do Sinpro/RS.


O Sinpro/RS ajuizou ação na justiça cobrando da FTC registro do contrato de trabalho dos professores e pagamento dos salários.

Mesmo com os professores em greve por tempo indeterminado, a instituição está com vestibular agendado para este domingo, 26 de abril.


DENÚNCIA – As irregularidades na EAD da FTC engrossam as denúncias, recebidas pelo Sinpro/RS, contra instituições de ensino que ofertam Educação a Distância no estado sem a infra-estrutura mínima e descumprindo a legislação trabalhista. Veja matéria do Jornal Extra Classe de dezembro de 2008: www.sinprors.org.br/extraclasse/dez08/educacao3.asp


SOBRE A EAD FTC –A FTC EAD (www.ead.ftc.br) faz parte da Rede FTC (http://portal.ftc.br), com sede na Bahia.

Entrevista para a imprensa: professora Cecília Farias – Diretora do SInpro/RS (51) 9702-7277

Mais informações para a imprensa: Grazieli Gotardo – 51. 4009-2982 e 51. 9742-8165


Assessoria de Comunicação Social – Sinpro/RS

Valéria Ochôa – coordenadora de comunicação (51 4009 2981 ou 9702 7283)

César Fraga – jornalista (51 4009 2981 – 51 9702 7286)

Grazieli Gotardo – jornalista (51 4009 2982)

Gilson Camargo – jornalista (51 4009 2983 – 9702-7271)

www.sinprors.org.br

Share

Comentários

comentários

eadftc não envia diploma após dois anos de colação .Absurdo!!!!

  • fui aluna desta vigarisse de faculdade à distância. no curso de licenciatura em biologia. só para realizar meu sonho. gastei todo meu dinheiro sustentando essa picaretagem.

  • Desde 2005, estamos lutando contra a FTC na defesa dos direitos trabalhistas negados no ato das nossas demissões. A partir das demissões ocorridas em 2010 criamos como instrumentos de luta o blog Demitidos FTC, o grupo FTC EAD no facebook e uma página na mesma rede social chamada Demitidos FTC com o objetivo de tornar público os desmandos e o desrespeito com que temos sido tratados por essa instituição, uma vez que a Justiça do Trabalho deferiu as nossas garantias trabalhistas. Na época, reclamamos o pagamento dos meses de outubro e novembro de 2010, aviso prévio, 13º salário, pagamento das férias devidas e proporcionais, liberação e pagamento do FGTS com respectiva multa de 40%, além de revisão salarial cujas horas-aula eram calculadas equivocadamente abaixo do cálculo legalmente estabelecido.
    Novas demissões foram ocorrendo ao longo da nossa caminhada e mais colegas se juntaram à luta, iniciando também a mesma batalha na Justiça do Trabalho, buscando reaver o que é garantido por lei.
    Em 2011, a FTC/IMES/SOMESB, entrou com um pedido de recuperação judicial que foi deferido pela Justiça Estadual, no entanto, até o presente momento não houve aprovação do plano de recuperação, nem há informação de quando vai ocorrer assembleia de credores, muito menos noticia de pagamento de nenhum credito trabalhista, apesar de ter sido nomeado administrador pela Justiça. Neste espaço de tempo, alguns processos da Justiça do Trabalho ficaram paralisados por 06 meses, porém, este prazo já se esgotou e a FTC não tem demonstrado interesse em pagar os processos nem em fazer acordos, estando a maioria dos processos na fase de busca de penhora de bens que não são encontrados, pois já penhorados em outros processos, além de que apesar de esta recebendo vultosas quantias de alunos, misteriosamente não entra o dinheiro na conta bancária em nome da FTC/IMES/SOMESB.

    Aguardamos o desfecho dessa vergonhosa situação com a FTC, pagando tudo o que deve e o que foi determinado pela justiça. Sim, nós trabalhadores estamos esperando receber o que nos é de direito e o mais breve, afinal trabalhamos nessa instituição de forma honrada e não queremos continuar prejudicados e humilhados.

    Concluímos esta carta chamando atenção e pedindo apoio da sociedade baiana, em especial á categoria e alunos da FTC, para que essa instituição passe a respeitar os direitos reconhecidos pela Justiça dos ex-funcionários e também o pagamento correto aos atuais funcionários.

    Exigimos o cumprimento dos nossos direitos já legalmente garantidos, o fim da dívida que a FTC tem com os seus trabalhadores!

    Trabalhadores Demitidos da FTC

  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *