É isto

Um caderno ao alcance da mão

Uma letra na folha

É mais do que um mundo.

São todos os mundos possíveis,

Ou o único necessário.

Aquele que sou

Aquele em que consisto

Aquele fio tênue de luz que me faz por dentro e que se estende em todas as direções.

Tudo isto é um caderno, uma folha, uma mão que escreve, e muito mais.

Lembro de todos os mundos por que ando e que sou

Tudo isso que sou e que gira e dá mais voltas,

São as cores violeta e amarelo,

É o amor e a fé

São os entardeceres e o amor

É a esperança e isso que parece que alcanço e alcancei,

Mas que não alcança descansa. Vem e se vai e vem e vai mais vezes, incessantemente.

É a vida que fui e serei, e o que ainda não sei mas me sabe

É a soma de todos os meus dias minutos instantes, encontros, desencontros, evoluções, revoluções, reexpectando

Espelhando o sossego e a paz infinitas que são um espelho que me olha e olho e sei que é e não é e sou e não sou outra vez todas as vezes, as vezes sempre nunca não sei.

Um caderno uma letra uma mão que escreve é um mundo todos os mundos, tudo que sou. Uma paz eterna é terna, ternamente me faz, se desfaz, refaz, continuamente, até o sol raiar.

Comentários

comentários