Documentos revelam “tratado de Tordesilhas” entre EUA e Reino Unido para repartir petróleo do Iraque, meses antes da invasão

Documentos revelam 'tratado de Tordesilhas' entre EUA e Reino Unido para repartir petróleo do Iraque, meses antes da invasão

Tony Blair exigiu parte das reservas para as multinacionais British Petroleum, Shell e British Gas. Do La Jornada de 19/4/2011 (p.18), com The Independent, Reuters e AFP, via Antonio Luiz Costa (@AluizCosta).

O governo do ex-primeiro-ministro Tony Blair determinou seis meses antes de invadir o Iraque, ao lado dos Estados Unidos em março de 2003, que as empresas British Petroleum, Shell e British Gas deveriam receber parte das reservas de petróleo e gás naquele país asiático, uma “recompensa para o forte empenho do governante trabalhista nas operações militares contra o presidente Saddam Hussein”, segundo documentos oficiais divulgados nesta segunda (18) em Londres.

Um arquivo contendo notas dos ministérios do Comércio e de Assuntos Exteriores de outubro e novembro de 2002 revela que as ambições do Governo Blair e das empresas da área de energia sobre as reservas de petróleo do Iraque foram a principal causa dos planos de ofensiva a Bagdá.

Os documentos contradizem a posição oficial naqueles dias, em que Blair disse que a teoria da conspiração do petróleo era a “acusação mais absurda” contra a sua proposta de acompanhar Washington na invasão militar do Iraque.

Outras informações, clique aqui.

* * *
MILÍCIAS NO RIO DE JANEIRO. Um documento sigiloso foi encontrado dentro do carro do supervisor de carnaval da Portela e sargento PM Marcos Vieira de Souza, o Falcon. O PM havia sido preso na quinta passada.

“Na papelada apreendida, a testemunha revelou que Janderson Martins dos Santos foi assassinado, dia 24 de abril, em Madureira. Ele teria sido vítima de uma milícia que atua no bairro. O autor do crime, de acordo com o depoimento, foi PM Jussieu Marinho Castelo Branco Junior, o Castelo, preso preventivamente no dia 23 de março.”

Detalhes no Jornal Extra aqui.

Enquanto isso, 40 acusados da Operação Guilhotina, da Polícia Federal, foram soltos nesta terça (19) à tarde em decisão da Câmara Criminal do Tribunal de Justiça. Segundo Antonio Werneck, desembargadores foram unânimes…

* * *
JÁ NO MÉXICO, foram presos 16 policiais suspeitos de envolvimento em 145 assassinatos na fronteira com os EUA. Os corpos foram encontrados no começo deste mês em fossas em San Fernando, na região de Tamaulipas, na fronteira com os Estados Unidos. Detalhes no UOL.

* * *
AÇÃO NA ROCINHA. Do jornalista Jorge Antonio Barros: “Não foi o secretário de segurança que disse que sabe muito bem onde o Nem da Rocinha se esconde? Pois o traficante conseguiu escapar de novo. A polícia pode ter dado um golpe nas finanças do tráfico na Rocinha, mas só cumpriu dois dos 30 mandados de prisão. Há rumores de vazamento.”

E há empresas no esquema (leia aqui).

Do próprio Jorge: “No Brasil só os animais permanecem atrás das grades. Os ‘humanos têm bons advogados.”

* * *
VILA RECREIO II. Segundo o jornal ‘O Dia’, o juiz Ricardo Coimbra da Silva Starling Barcellos, da 13ª Vara de Fazenda Pública do Rio, só admite a demolição das casas da comunidade Vila Recreio II, na Zona Oeste do Rio, se houver o pagamento prévio da indenização prevista no laudo pericial, que foi elaborado, a pedido, em cinco dias.

Diz a matéria: “Em média, cada uma das cerca de 20 casas está avaliada em R$ 16 mil. Na decisão anterior, o magistrado havia determinado a paralisação da derrubada dos imóveis, promovida pelo Município do Rio. Na área em questão será construída a TransOeste.”

Diz o juiz: “Se para quem possui condições de se mudar para um hotel já é difícil sair de casa e ter que levar suas coisas imediatamente, imagine para quem não tem recursos e vê seus bens retirados em um caminhão de lixo. (….) A população não agüenta mais ver todos os anos desastres como os deslizamentos provocados por construções irregulares em área de risco por omissão do Poder Público Municipal”. Mais na matéria aqui.

* * *
TRAGÉDIA NA REGIÃO SERRANA DO RIO. O Ministério Público estadual propôs à Justiça 384 ações civis públicas, com pedido de liminar, relativas a áreas de risco em Petrópolis. O jornalista Antonio Werneck informou pelo twitter que cada ação corresponde a uma localidade de risco no município. São réus: o Governo do Estado do Rio, a prefeitura de Petrópolis e o Instituto Estadual de Ambiente (INEA).

* * *
BOMBEIROS NO RIO. Os guarda-vidas do Corpo de Bombeiros fizeram um protesto em Copacabana no domingo. O deputado Paulo Ramos lembrou que, além dos baixos salários, eles não recebem equipamentos para o salvamento de afogados e ficam oito horas seguidas no sol sem protetor solar.

Depois da manifestação, 36 deles foram transferidos para longe de suas residências, uma ação do poder público conhecida como “punição geográfica”. Lamentável.

* * *
‘PERNAMBUCANAS’ E O TRABALHO ESCRAVO. Matéria de Bianca Pyl na Agência Repórter Brasil informa que fiscalização realizada em complexo de oficinas na capital paulista encontrou imigrantes escravizados confeccionando vestidos da Vanguard, marca adulta feminina exclusiva da Pernambucanas, em agosto de 2010.

Isso faz da rede varejista reincidente, portanto. Há duas semanas um grupo de imigrantes sul-americanos submetidos a condições análogas à escravidão foi flagrado costurando blusas da coleção Outono-Inverno da Argonaut, marca jovem da mesma rede. O novo flagrante foi realizado por auditores fiscais da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de São Paulo (SRTE/SP). Leia aqui.

* * *
DIREITOS HUMANOS EM ALTAMIRA, PARÁ. Pequenos produtores rurais e ribeirinhos da região de Altamira, no Pará, denunciaram que funcionários contratados pela Norte Energia, consórcio responsável pela construção da hidrelétrica de Belo Monte, estariam coagindo as famílias a autorizar a entrada de técnicos em suas propriedades. Segundo as denúncias, feitas no último sábado (16) à Comissão de Direitos Humanos do Senado, técnicos da empresa E-labore e da própria Norte Energia incumbidos do levantamento topográfico e de benfeitorias das áreas sob risco de alagamento estariam pressionando as famílias para conseguir que as autorizações para entrada nos imóveis sejam assinadas.

Segundo matéria do jornal Brasil de Fato, o Ministério Público Federal (MPF) solicitou ao Senado cópia das declarações feitas em reunião realizada na Casa da Cultura de Altamira à Comissão de Direitos Humanos, representada pela senadora Marinor Brito. Participaram da reunião cerca de 200 representantes das famílias atingidas, pesquisadores e integrantes de movimentos sociais, além do MPF e do Ministério Público do Estado. A matéria na íntegra aqui.