Documento da ONU contraria principais interesses do Brasil

Por Brunno Constante, 14/9/2005, para a redação Consciência.Net

Os principais pontos de interesse do Brasil e das nações de desenvolvimento na 60ª Assembléia Geral das Nações Unidas, que começa hoje, ficaram de fora do documento final acordado ontem entre os 191 países que integram a instituição.

A principal derrota para o Brasil se deu em relação à ampliação do Conselho de Segurança (CS). A diplomacia brasileira esperava um compromisso de uma decisão final até dezembro, mas o documento deixa explícito que não haverá, necessariamente, uma definição. A ampliação do CS é a principal bandeira do Brasil na reforma da ONU e uma das maiores apostas da diplomacia do governo Lula. O documento joga para um segundo plano as aspirações do país, que integra o G-4, grupo que reúne ainda Alemanha, Japão e Índia.

Os quatro ambicionam participar como membros permanentes do conselho, que hoje tem apenas cinco (EUA, França, Reino Unido, China e Rússia).

Os EUA, ao contrário da maioria dos países, se recusaram a apoiar diretamente ou mesmo se pronunciar sobre a proposta. Cada vez mais fica nítido que a grande nação imperialista manda e desmanda e faz da ONU o que quer. Passa por cima de tudo e de todos.

Com informações da FOLHA.

Share

Comentários

comentários

Revista diária fundada em 13 de maio de 2000.

Seções: Opinião.