Do Vândalo e do Baderneiro

Vândalo é quem luta por seus direitos ou quem nega todos eles e te enche de porrada quando você luta por eles?

Baderneiro é quem não suporta a pressão dos abusos do preço, do imposto, da passagem, da comida, das mentiras patrocinadas na tv e reage pela dignidade sobre seu próprio futuro ou quem recebe um salário milionário para — sentado numa cadeira macia acariciado pelo ar-condicionado — fazer gracinha e piadinha ridicularizando quem ainda não vendeu o próprio caráter?

Quem vandalizou o Rio de Janeiro e São Paulo, quem vandaliza as bolsas de valores do mundo, a saúde pública, o ensino público, a habitação, o turismo, a dignidade e a vida humana é essa ideia infeliz do lucro acima de qualquer coisa.

Essa imbecil ideia de que tudo deve ter um preço e é preciso lucrar com tudo: com a morte, com a dor, com a tragédia, com a alegria, com os sentimentos, com qualquer coisa que haja. E a ideia depois dessa, a de que qualquer empecilho ao lucro acima de qualquer coisa deve ser respondida com violência, truculência e morte.

O amor não será televisionado. Nem o diálogo. Nem a humanidade.

Só serão divulgadas as imagens que sirvam de pretexto para criminalizar o cidadão, para humilhar ainda mais quem luta pelo direito de não ser medido pelos dígitos na sua conta bancária ou pela cor do seu cartão de crédito.

Renato Kress é carioca. Sociólogo com habilitação em ciência política e antropologia (PUC-Rio). Treinador de empresas. Diretor do Instituto Atena. Coordenador de conteúdo da revista eletrônica www.consciencia.net. Escritor e contista.

Seções: Opinião.