Crise da Caricatura no Amapá

A proibição de uma caricatura com a palavra XÔ em que a letra “O” forma o rosto do candidato ao senado José Sarney está provocando polêmica no Amapá. A caricatura, de autoria do desenhista Ronaldo Rony, foi pintada em um muro de Macapá e fotografada pelo jornalista Chico Bruno. A blogueira Alcilene Cavalcante viu a foto e resolveu publicar no seu blog.

José Sarney, que já havia tentando, sem sucesso, proibir o mecanismo de busca Google de incluir em seus resultados textos contrários a ele, processou Alcilene, pedindo indenização de 100 mil reais e a retirada do blog do ar. O blog foi censurado pelo provedor, mas a irmã da acionada, Alcinéa (que também havia sido processada por Sarney por causa de um comentário de um leitor), iniciou uma campanha entre os blogs amapaenses, que começaram a republicar a caricatura. Alguns desses blogs e sites também foram processados, mas receberam a adesão de outros blogs nacionais e internacionais. Atualmente mais de 120 blogs estampam a caricatura num protesto contra o que consideram censura. A lista dos blogs que entraram no movimento é publicada diariamente no blog de Alcinéa .

O jornalista Marcelo Tas, apresentador do programa Saca-rolha (da TV Play), publicou a caricatura em seu blog e declarou voto à principal adversária de Sarney, Cristina Almeida.

Em Macapá várias pessoas começaram a estampar em camisteas a caricatura do senador.

Desde então o blog de Alcinéa tem sido representado diversas vezes por Sarney, com pedidos de indenização que já totalizam um milhão de reais. Num das últimas representações, o advogado (que é funcionário do Senado) chamou os blogueiros e jornalistas que trataram do assunto de “um bando de criminosos que usa a internet para cometer crimes”.

O que começou com uma simples caricatura pintada em um muro pode se transformar na maior polêmica da vida política de Sarney no Amapá e o caso já está sendo chamado de a crise da caricatura, em referência às caricaturas de Maomé que provocaram protestos violentos por parte dos fundamentalistas mulçumanos.

Revista diária fundada em 13 de maio de 2000.

Seções: Opinião.