Copa das covas

Ação truculenta da Polícia Militar contra crianças no Complexo da Maré, no Rio de Janeiro, a menos de três meses da Copa do Mundo. Foto: Ricardo Moraes/Reuters

Ação truculenta da Polícia Militar contra crianças no Complexo da Maré, no Rio de Janeiro, a menos de três meses da Copa do Mundo. Foto: Ricardo Moraes/Reuters

A ordem é mostrar que o espaço do pobre é aquele. Restrito. É colocar ele “no lugar dele”, o espaço que a elite empresarial de maioria branca — e com porta-vozes como o Pelé e o Ronaldo Nazário — delimitou como o espaço da maioria inquieta e que, se ficar mais inquieta com seus “rolezinhos” e exigências de justiça sobre os milhares de Amarildos e “arrastadas”, vai conhecer novos lugares, como o inferno da violência e da dor que antecipa a cova.

Porque para essa elite vai ter Copa. Porque tendo ou não Copa, vai ser para essa elite. A mensagem está bem clara: filho de pobre não é criança, é uma outra categoria, chamada “menor” e cujo sobrenome quando não é “infrator” é “suspeito” e, para esses como para qualquer pobre, o trabalho dos homens de preto — é descer o aço no peito.

A FIFA e a gentrificação de Cabral e Beltrame mandam seu recado. As ruas gritam “Não vai ter Copa”, o genocídio iminente é o eco da resposta do governo e das grandes empresas: “Vai faltar cova”.

Para que não tenhamos dúvidas sobre o que está acontecendo no Rio de Janeiro: extermínio e se necessário genocídio de todo e qualquer pobre que não abaixar a cabeça quando a rainha FIFA e seu séquito de empresários passarem.

A ordem é clara e quanto menos dinheiro o cidadão tiver — quanto menos consumidor ele for — mais ele ouvirá na carne: “Nós vamos te explorar. Nós vamos te estuprar. Se ouvirmos um pio, nós vamos te matar”.

_____________________________
(*) Renato Kress, antropólogo, cientista político, carioca. Comente e compartilhe o texto aqui.

Renato Kress é carioca. Sociólogo com habilitação em ciência política e antropologia (PUC-Rio). Treinador de empresas. Diretor do Instituto Atena. Coordenador de conteúdo da revista eletrônica www.consciencia.net. Escritor e contista.

Seções: Opinião. Tags: , .