Conversa, domingo, 24 de agosto 2014

fotoHoje, voltei de uma viagem para mim longa (10 dias) por três estados (GO, DF e MG). Hoje, domingo, minha celebração eucarística foi participar da celebração dos 30 anos de ministério de Félix Filho, um padre anglicano que foi do meu grupo de jovem e do qual eu tive parte importante na primeira formação cristã.

Somos amigos há mais de 40 anos. A celebração foi no salão do edifício no qual ele mora. Umas 50 pessoas entre parentes, amigos e pessoas da comunidade que atualmente ele acompanha. Ali se respirava uma ânsia pela unidade das Igrejas, mas ainda com o cheiro das divisões.

Fiquei com ele no altar e comunguei, mas como peço a Deus que esse sinal não seja apenas meu e sim de toda a Igreja de Deus, tanto Católica, como Episcopal Anglicana, ainda tão voltadas sobre si mesmas e sobre os seus dogmas e costumes.

Dom Sebastião Soares, bispo emérito que recebeu Félix e validou o seu ministério para a Igreja Anglicana, fez uma excelente meditação sobre os textos litúrgicos desse domingo, partindo do salmo 138 – louvar a Deus que é tão grande, mas olha os pequeninos – o texto de Isaías 51 e Romanos 11, assim como o evangelho Mateus 16, 13 ss. Gostei e aprendi muito.