Constituinte

downloadContinuo pensando que é melhor que o Brasil tenha uma constituição, uma vez que a partir do dia 17 de abril de 2016, não tem mais.

Continuo pensando que é melhor que o Brasil seja um Estado que proteja os seus cidadãos. Um Estado de bem-estar social, que garanta a educação, a saúde, a moradia, o salário digno, a segurança, o lazer e a cultua, uma velhice em paz, para todos os seus cidadãos.

Um Estado que garanta a vida e os direitos humanos. Um Estado que proteja as maiorias contra a voracidade da exploração capitalista selvagem. Um Estado que proteja as minorias, como expressão da diversidade e da pluralidade de formas de ser e de viver.

Um Estado, portanto, que não esteja privatizado nem seja privatista, como é o que está em vigor desde o golpe que empossou o ilegal e ilegítimo Temer na presidência da república. Mas continuo pensando que além do Estado, tem a vida. Ou aquém do Estado, está a vida. A vida está mais para cá. No mais perto. Na família, na comunidade, nos amigos.

O Estado é um lugar onde se disputa o poder. As grandes empresas. O agronegócio. O latifúndio. Os bancos. O capital financeiro. Não quero esquecer que a vida não se reduz ao Estado. Tem as pessoas. Tem a pessoa que cada um de nós é. Alguém que nasceu, que vive um certo tempo, e depois se vai. Tem essa brevidade que é a vida de cada um de nós.

E é essa vida a que eu quero cheia de sentido. A estas alturas da vida, a esta altura de mim mesmo, penso que o que vale mais é a vida que cada um de nós é capaz de viver, com sentido. Isto depende do ser que eu sou. O ser que cada manhã amanhece e começa a dar sentido ao seu estar respirando, ainda. A vida é mínima, é breve, é pequena, fugaz, e eterna.

Acredito que o Brasil neste momento, está precisando se fazer de novo. Se criar de novo. Um novo pais. Um pais de novo. Podemos pensar que o Brasil que queremos não cabe no programa de algum partido. Quando cheguei ao Brasil, em 1977, este pais estava tentando sair das trevas da ditadura.

Hoje estamos tentando sair de uma lei de ferro, que faz dos Estados propriedade privada das oligarquias, dos grupos de poder, dos proprietários, dos financistas. Poderiamos pensar em uma constituinte. O que acha?