Como o que eu faço hoje se enraíza na minha história de vida?

Como o que eu faço hoje se enraíza na minha história de vida? Esta pergunta, como tantas outras da abordagem barretiana (1), nos traz para uma integração da nossa vida atual na nossa essência, na nossa trajetória existencial.

Quando o que eu faço está integrado na minha história de vida, eu sou uno com o que faço, eu não sou um tarefeiro, alguém que cumpre papéis ou executa ordens, mecanicamente.

Quando a minha ação de hoje, ou ainda mais, quando a minha presença hoje, aqui e agora, neste exato tempo e lugar está perfeitamente encaixada com a minha história de vida, eu não sou mais dois, eu sou um só. Eu estou em paz, portanto. A dissociação cria um barulho.

Quando eu sou o que eu faço, quando o que faço é uma emanação do meu ser mais profundo, a minha ação é una, ela se integra com a situação em que vivo, com as pessoas em volta.

Na Terapia Comunitária Integrativa e nos cursos do Cuidando do Cuidador, somos levados a resgatar a nossa criança interior, o nosso primeiro mestre, que atravessou todas as dificuldades para nos trazer até aqui.

Quando eu percebo que eu consegui superar todas as dificuldades que se me apresentaram na minha caminhada, percebo que eu posso. Eu posso, eu pude e eu poderei. É o empoderamento. É o surgimento da confiança, da aceitação de mim mesmo.

(1) Adalberto Barreto, criador da Terapia Comunitária Integrativa e do Cuidando do Cuidador

Comentários

comentários