Carta de Natal

 

papai noel lendo a carta – wallpapers

Caro Papai Noel:

É com muita esperança que decidi escrever esta carta. Faz muito tempo que uma legião de pessoas querem me convencer que você não existe, mas eu decidi confiar no meu coração e, por isso decidi escrever-te. Se você realmente não existir, o que pode acontecer, é que o que foi pedido aqui não seja realizado. Acredito muito na realização dos meus pedidos. Sei que muitos deles parecem difíceis de conseguir mas, Papai Noel não esquece de ninguém. Se não for você,  já não saberei com quem será. Hoje, o desejo de ajudar o próximo anda em escassez. Existe uma grande troca de favores. Há uma substituição do “‘fazer o bem sem olhar a quem” pelo “salvem-se quem puder”. E isso anda desarticulando a estrutura de nossa sociedade. Por isso, gostaria que o Senhor viesse a nosso Brasil.  Tenho alguns pedidos para nosso país. Me parece difícil sua vinda devido a distância e o clima, mas, acreditamos que as suas boas ações surtirá efeito positivo para nossa gente . Um alerta. Aqui começou o verão. Venha com roupas leves para não morrer de calor.

Antes de nos focarmos em nossas crianças porque, bem sabemos que é necessário “olhar as crianças de nosso Brasil” e, a atenção infantil, é um dos indicadores que valoriza o desenvolvimento de um país, precisamos olhar aos que fazem as leis paras as crianças.  Uma das coisas que eu gostaria, é que o Senhor trouxesse um pacote de honestidade e benevolência para a vida  de nossos políticos. Que este presente os fizesse despertar na manhã de natal com a compreensão de que a ganância jamais vencerá a doação, que a cobiça não reina sobre a generosidade e que a missão que eles realizam,é a de representar o próximo e não a si mesmo.   

Papai Noel, gostaria de pedir uma intervenção na vida cibernética das pessoas. A modernidade afastou fisicamente os homens. O senhor deve se lembrar do tempo em que todos se sentavam ao redor da mesa, compartilhavam  a ceia e faziam recordações. Hoje ainda acontecem as reuniões de família. Poucas, muito poucas. Quando acontecem, é cada um conectado ao seu celular smartfone e a conversa ocorre de forma on line. Existe uma mudez na mesa pois, há uma concentração na tela do aparelho. Em responder as mensagens e ver o que foi postado. As pessoas têm pressa Papai Noel. De terminar rapidamente a ceia e saírem para não se sabe onde. A vida se tornou agitada e agressiva. A mesma internet que trouxe possibilidades de aproximar as pessoas que de muito longe tem a oportunidade de se conhecer, tornarem-se amigos, iniciarem uma relação sentimental, os afasta com o poder opinativo de um sobre o outro. As redes sociais os formou julgadores. Alguns com propriedade e instrução. Outros nem tanto, ou quase nada. Ninguém está isentos diretores, presidentes, religiosos ou seres comuns. A quem couber um “comentário”, este será vítima ou réu e não existe medida para a avaliação. Com  a democracia da web não existem medidas para a imaginação arbitrária. O que poderíamos fazer para a modernidade crescer sem se diminuir?

Papai Noel, gostaria que o senhor visitasse os menos favorecidos. Tenho a certeza que na noite de natal, muitos não terão o que comer. Vítimas de uma sociedade desigual que não os permitiu ascender. Muitos por falta de opção , se tornaram escritores de seus próprios destinos e não degustam capítulos vitais frutíferos. Quantos Josés e Marias que não  tem um lar, quer dizer, nem ao menos vestes. Quantos Jesus também chamados, “crianças de nosso Brasil” que nascem em manjedouras e não experimentarão camas jamais em sua existência. Saboreiam as lepras adquiridas ao longo do trajeto vital e não são permitidos trafegar pelas zonas glamourosas das cidades por uma tal impureza que nem eles sabem que existe . Papai Noel, há tanta gente com muito e outros com nada. O  que me deixa feliz é que o senhor não esquece de ninguém. Seja rico ou pobre, o senhor virá. Aos nossos pequenos, não espere chaminé. Eles vão deixar as portas semi abertas e,  ficarão felizes com a sua vinda.

Insisto. Eu sei que o senhor existe e estarei esperando a sua chegada.O senhor virá. Sempre vem. Por favor. Não esqueça dos meus e, me ajude a fazer por eles o que eu não consigo. Um último pedido. Se o senhor nas suas andanças encontrar o grande Aniversariante do dia e sua família não exite em pedir-lhe ajuda. Ele sempre está disposto a ajudar e fazer coisas maiores que as que nós fazemos.  Eu acredito que com ele, estes pedidos ficarão mais fáceis de serem realizados.

Nota: não pedi nada em específico para mim pois a conquista destes pedidos sempre será o meu maior presente de natal.

Ass: Seu pequeno e eterno admirador.

Brasileiro, Casado. Médico formado pela Escuela Latinoamericana de Medicina (ELAM) em Havana -Cuba. Especialista em Medicina de Família e Comunidade pela Secretaria de Saúde de Sinop (MT). É professor de medicina na Universidade Federal de Mato Grosso. Realiza promoção de saúde com quadro semanal em rádio e televisão em Sinop (MT) ademais de palestrante e músico.

Seções: Opinião. Tags: , , , , .