Campanha 24h de Combate à Homofobia

Share

Há exatos dois meses das eleições presidenciais de 2010, um grupo de defensores de direitos humanos se reúne em Brasília para o lançamento da campanha “24 horas de combate a homofobia”.   Incentivados pelos recentes casos de homofobia, como a assassinato bárbaro do adolescente  de apenas 14 anos,  Alexandre Ivo, na cidade de São Gonçalo no Rio de Janeiro, e pelos avanços nas legislações de Uruguai e Argentina, país este que recentemente alterou sua legislação para que o matrimônio possa ser realizado por qualquer pessoa independente de seu sexo,   este grupo decidiu criar um site com o intuito de provocar a discussão a respeito dessa temática.

A campanha consiste em mobilizar pessoas sensíveis à promoção da igualdade de direitos e o combate à discriminação e ao preconceito que milhares de brasileiros e brasileiras sofrem em razão das orientações sexuais e identidades  de gênero.  Segundo dados do  Grupo Gay da Bahia (GGB), a cada dois dias um homossexual é assassinado  no Brasil por conta da homofobia.  Além desta  violência fatal,  estudos da ABGLT – Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Travestis e Transexuais (conferir o nome) – há 78 direitos negados à população LGBT.

A ideia dessa campanha é sugerir e incentivar que as pessoas doem o tempo de um dia de suas vidas para a realização de ações que  mobilizem pessoas, multipliquem informações, sensibilizem a sociedade para uma incidência política mais concreta no combate à homofobia e a promoção da equidade de direitos.  Por exemplo, um professor pode reunir outros professores no seu trabalho e promover um debate sobre como a escola está lidando com o tema. Ou, você pode reunir amigos para apresentar dados sobre a homofobia e a disparidade de direitos. 

 

logo_homofobia

 

O site ainda sugere que você pode realizar uma pesquisa sobre os canditados e canditadas de seu estado a respeito de quais propostas existem para a mudança desse quadro atroz de preconceito e discriminação, qual o envolvimento histórico dessa pessoa e mais, pode levar os canditados que tem ao longo de sua carreira proferido discursos preconceituosos e que incitem a violência contra a população LGBT. Os organizadores da campanha entendem que o processo eleitoral é um dos mais importantes processos  formais de participação; por isso hoje  é grande momento para essa sensibilização. Não alterar essa situação é ser conivente com os crimes de ódio contra homossexuais que acontecem quase que diariamente em nosso país.

No dia 18 e 19 de setembro será realizado um evento cultural de 24 horas, com manifestações artísticas diversas.  Nesta ocasião haverá shows musicais, esquetes teatrais, exposição de fotos e vídeos. Além de uma festa para  expôr toda a diversidade de nossa sociedade. Finalmente, a organização da campanha espera que o dia 3 de setembro seja o grande ápice dessa mobilização elegendo o maior número de pessoas envolvidas com os direitos humanos e o Estado Laico.

Acesse http://www.24horasdecombateahomofobia.com.br/ e particpe!

Share

3 thoughts on “Campanha 24h de Combate à Homofobia

  1. Ação democrática legitima (a de afirmar que os homossexuais são perseguidos) de pessoas de grande habilidade de Mídia; as quais cito no Blog que vou sugerir no seguimento para conhecimento e avaliação.
    Quando digo grande habilidade no saber como tratar Notícias e Informações; isto decorre do fato da maneira ruidosa e coerente como conseguem transformar um fato (lamentável é claro) em um factóide (fato maximizado, ampliado acima da sua real razão de ser) de grande repercussão, como é feito diversas vezes que ocorre algum tipo de agressão a homossexuais; cujos números estão muito aquém das agressões contra a mulher e as mútuas entre torcedores, pelo fato fútil de serem torcedores de Times diferentes… Comento isto aqui como elogio à forma inteligente como os homossexuais trabalham os Meios de Comunicação, reproduzindo aqui e ali elementos de Merchandising para aprovar o PLC 122.
    É estranho para mim como os homossexuais que têm dentro da sua comunidade ─ hoje e no decorrer da história ─ pessoas inteligentes como os filósofos gregos homossexuais, o grande retórico Lísias e o inteligentíssimo Aristófanes, autor do Mito do Andrógino ver, obra O Banquete da Platão ─; artistas, intelectuais, pessoas de várias formações acadêmicas e principalmente as da área das Letras; não atentem para o que chamo de estupidez lingüística, que é o chavão acusativo HOMOFÓBICO (de homo-fobia), sabendo-se que homo (latim, homem), homo (grego; igual, semelhante; que é usado em homofobia) e fobia (grego, φόβος ─ medo com ação retro-ativa de fugir). Do que se conclui que: ao chamarmos alguém de homofóbico estaremos dizendo exatamente ser aquele que tem o sentimento de medo (fobia) a vitima desse (o criminoso no exato entendimento do termo) que lhe infunde medo.
    Não tenho nada absolutamente nada contra os reais direitos dos homossexuais; entretanto tenho tudo contra O PLC 122 OU A DITA LEI HOMOFÓBICA (este é o título do meu Blog), cujo endereço é http://www.verdaderespeitoejustica.blogspot.com , no qual, demonstro ser esta lei, não aquilo que defende os direitos dos homossexuais e sim, um odioso instrumento de Censura.
    P.S.: Apenas para reforçar como lembrete e gerar interesse ou curiosidade com relação ao Blog citado. CLAUSTRO-FOBIA, FOTO-FOBIA e algumas outras fobias têm plena assertiva nas suas construções, pelo fato óbvio de que quem está enclausurado ou diante de uma forte luz, desesperadamente busca fugir. O que aconteceu com as pessoas que têm conhecimento lingüístico? E o bom senso, o que foi feito dele, quando se mantêm o absurdo chavão chamado HOMOFOBIA, que é exatamente contra aquilo que se quer defender?..
    Atenciosamente JORGE VIDAL

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>