Bancários do Banco de Brasil-SP aprvam greve de 24 hs. para o 7 de março

Em assembleia realizada nesta segunda-feira (25), na quadra dos Bancários de São Paulo, com a presença de mais de 800 trabalhadores, os funcionários do Banco do Brasil rechaçaram o plano do banco de redução de jornada com redução de salário, além de aprovarem um calendário de mobilização.

Aprovaram ainda uma greve de 24 horas para o dia 7 de março. Nesta quinta-feira (28) haverá paralisação de uma hora. No centro, o ato acontecerá na rua São Bento esquina com a avenida São João. Na próxima terça-feira (5/03), haverá nova assembleia dos funcionários do BB para preparar a paralisação.

O Sindicato dos Bancários de São Paulo, segundo maior sindicato da CUT, manteve-se relutante diante das reivindicações dos bancários de chamar um calendário de mobilização. Entretanto, numa demonstração de garra e unidade, esses trabalhadores passaram por cima da diretoria do Sindicato e fizeram valer suas exigências.

Foi realizado um ato, no último dia de 6 fevereiro, quando exigiram que o sindicato convocasse uma assembleia contra esse plano e iniciativas jurídicas. Segundo o MNOB (Movimento Nacional de Oposição Bancária), o Sindicato não queria chamar assembleia.

O MNOB cumpriu um papel importante na votação do calendário de mobilização. Fez um abaixo-assinado para que fosse chamada a assembleia e que se pudesse votar a paralisação. Chegou a realizar uma ação no dia 19 de fevereiro que serviu para preparar a votação do calendário de mobilização.

Os bancários do Banco do Brasil são contra o plano do banco que prevê a redução do horário de trabalho com corte nos salários que, em média, chegam a 16% na remuneração final para os cargos técnicos e operacionais.

“Há um forte ataque do Banco do Brasil que quer transformar a redução da jornada, principal reivindicação dos bancários, numa redução de salário”, explica a integrante do MNOB, Juliana Donato.

Além disso, foi votada na assembleia a não adesão ao CCV (Comissão de Conciliação Voluntária), que, no entendimento dos funcionários do banco, leva a abrir mão de direitos. O Sindicato dos Bancários de Bauru já havia rejeitado a proposta em assembleia realizada anteriormente.

Os funcionários do Banco do Brasil de São Paulo estão propondo que no dia 7 de março haja uma greve nacional de 24 horas contra o plano proposto pelo banco que reduz salários.

Fonte: CSP-Conlutas

Share

Comentários

comentários