Até São Pedro participou!

14ª Parada do Orgulho LGBT Rio acontece debaixo de chuva e surpreende pela animação de 1,2 milhão de participantes

Minutos antes da abertura oficial da manifestação, o prefeito do Rio deu uma coletiva de imprensa onde entregou as chaves da Cidade Maravilhosa para a presidente do Grupo Arco-Íris, Gilza Rodrigues, para que ela realizasse a décima quarta edição do terceiro maior evento do Rio de Janeiro – a Parada do Orgulho LGBT Rio. “Deixo a cidade em suas mãos”, anunciou Eduardo Paes, que também declarou que será criada uma coordenadoria de políticas públicas apenas para cuidar das causas LGBT, ligada diretamente ao seu gabinete; além de querer transformar “a Parada carioca na maior manifestação do mundo”.

Já o Governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, acompanhado da primeira dama, Adriana Ancelmo, afirmou que “o Rio sempre estará na vanguarda dos direitos civis do Brasil”. Bem humorado e à vontade, de bermuda e tênis, Sérgio Cabral reiterou que reconhece “a Parada do Orgulho LGBT como parte integrante da agenda pública e política do estado do Rio de Janeiro”.

Personalidades e artistas também marcaram presença no evento. Letícia Spiller estava inspirada e discursou para a multidão: “o que eu puder fazer para combater qualquer preconceito, eu farei. Viva os direitos humanos!”. A Secretária Municipal de Cultura, Jandira Feghali, a Deputada Federal Cida Diogo (PT-RJ), a cantora Teresa Cristina e o vocalista do Detonautas, Tico Santa Cruz prestigiaram a passeata.

O Ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, foi taxativo: “o preconceito dá câncer e faz mal à saúde. O que cura o preconceito e a doença é a solidariedade!”. Minc remeteu-se às recentes declarações do Governador do Paraná, Roberto Requião, que atribui o aumento do número de câncer masculino às Paradas do Orgulho LGBT.

“É a primeira vez que o prefeito da cidade do Rio comparece à Parada LGBT. Já o Governador Sérgio Cabral vem pelo terceiro ano consecutivo. Isto é um marco histórico tanto para a cidade do Rio com para a comunidade LGBT. Ficamos felizes por cada vez mais contar com o poder público para a criação e aplicação de leis que combatam a homofobia em nosso estado”, afirma a presidente do Grupo Arco-Íris, Gilza Rodrigues.

Para o Superintendente de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos da Secretaria Estadual de Assistência Social e Direitos Humanos, Cláudio Nascimento “a Parada foi magnífica! As pessoas estão tomando as ruas para reivindicar seus direitos de amar e viver livremente. Esta chuva deu um banho em todos os caretas que ainda insistem em reproduzir um discurso homofóbico, que vai de encontro a uma sociedade civilizada, justa e de paz”!

II Ação Orgulho, Saúde, Cidadania e Direitos Humanos

Localizada na altura da Rua Sá Ferreira, a tenda 3, de Direitos Humanos distribuiu cerca de 500 mil informativos cedidos pela Superintendência de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos da Secretaria Estadual de Direitos Humanos, vinculada à pasta estadual de Direitos Humanos. Com o propósito de conscientizar a população presente e, em especial, o público LGBT sobre seus direitos como o Disque Cidadania e os Centros Regionais LGBTs, serviço de atendimento jurídico, social e psicológico para LGBT, vítimas de violência, entre outros.

Já na tenda 1, de Saúde e Cidadania, o Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT superou a estimativa de distribuição de meio milhão de preservativos, cedidos pelo Ministério da Saúde. “Prometemos distribuir, inicialmente, o número estipulado pelo órgão, mas aumentamos para cerca de 700 mil preservativos”, disse o coordenador da Campanha de Saúde da Parada LGBT-Rio, Dr. Jorge Eurico.

Na tenda 3, mais um recorde: às 17h10, 1.500 pessoas foram imunizadas contra hepatite B, superando a marca inicial de 5 mil doses disponibilizadas pela Secretaria Estadual de Saúde. “Enquanto houver público, o Corpo de Bombeiros vai abastecer o pólo 3”, adiantou o coordenador Jorge Eurico. Ao todo 700 voluntários, situados pelos quatro pólos, trabalharam ao longo da ação de prevenção no evento.

Conselho Tutelar presente na Parada LGBT-Rio

O Conselho Tutelar do Rio de Janeiro também esteve presente em mais uma edição da Parada LGBT-Rio 2009. Localizado na altura da Rua Barão de Ipanema, o posto do órgão teve a função de identificar os menores presentes no evento por meio de pulseira constando os nomes da criança e do responsável, além de telefone para contato. “Ano passado identificamos 3.500 jovens. Esse ano, o número caiu para apenas 1.200 crianças. O Arco-Íris é a única ONG que possui compromisso com os Direitos Humanos, onde o foco é a prevenção, em todos os aspectos”, afirmou o Conselheiro Tutelar, Edmilson Ventura, que atribuiu o sucesso do serviço à organização do evento.

Ele ainda ressalta que nenhuma entidade pública tem esse tipo de preocupação em eventos. Na equipe estão presentes 22 funcionários, entre educadores, assistentes sociais, psicólogos, conselheiros e voluntários. “Este ano tivemos o apoio inédito das Mulheres da Paz, da Rocinha, também sob a supervisão da presidente do Grupo Arco-Íris, Gilza Rodrigues”, conta o conselheiro Ventura.

Atendimentos

Segundo o Coronel Juarez, do Corpo de Bombeiros, até às 17h30 foram registrados apenas 20 atendimentos no pólo de Pronto-Socorro, como cortes e luxações, média semelhante à Parada LGBT-Rio do ano passado.