Associação de missionários/as do campo expressa solidariedade ao MST

A Associação dos Missionários e Missionárias do Campo, entidade católica difundida em quase todos os Estados do Nordeste e de São Paulo, com perfil do profetismo cristão, em nome de Jesus, Filho do verdadeiro Deus, crucificado e ressuscitado pelos seus, vem de público manifestar o que segue:

  1. Frente à crescente tentativa de esvaziamento e de desmonte dos movimentos populares no Brasil, perpetrado pelos atuais dirigentes de extrema direita fascista e idólatra, sente-se no dever de declarar a mais estrita solidariedade aos assentados e assentadas na Normandia e ao Centro de Formação Paulo Freire, nas proximidades de Caruaru, na iminência de despejo de seu espaço legal que já passa dos vinte anos.
  2. O Centro de Formação Paulo Freire oferece cursos e congressos da mais alta qualidade a jovens e adultos de qualquer nível e classe que se disponham a uma busca intelectual e pragmática de um apoio e razão de sua resistência ao mesmismo que o atual sistema impõe aos mais incautos. Por essa razão e não por outra o dito Centro se vê às voltas com as forças reacionárias mais truculentas do Brasil atual. Como uma pedra no sapato ou um cisco no olho.
  3. O Assentamento Normandia tem sido referência de produtividade e de promoção de uma sociedade promissora, igualitária e solidária, vencendo os vícios arraigados do individualismo e do financismo que conduzem os atuais projetos oficiais, manipuladores do nome de Deus e da inconsciência das massas em proveito próprio e perverso.
  4. Constituída por membros da classe popular em sua maioria, nossa Associação de caráter eminentemente cristão e na adesão total às orientações da nossa Igreja não pode deixar passar o momento que vivemos sem exprimir seu mais veemente protesto e sua apreensão quanto ao que se tenciona obter com a neutralização e o desmonte do Assentamento e do Centro de Formação. Queremos estar juntos na resistência a um plano destrutivo projetado sem o menor respeito aos atores e atrizes históricos do Assentamento e o Centro de Formação. Tudo se decide no papel e no arbítrio de quem detém o poder.
  5. Fica aqui asseverada às irmãs e aos irmãos e companheiros do assentamento Normandia e do Centro de Formação Paulo Freire nossa disposição de reforçar a resistência pacífica, sem nos deixar envenenar pelo ódio cada vez mais difundido, aberta ao diálogo com quem dele se faz capaz nesse momento. Concluímos com as palavras evangélicas: Levantem a cabeça, pois está próxima a vossa libertação (Lc 21,28)

Sítio Catita, Sede da Associação dos Missionários e Missionárias do Campo,

20 de setembro de 2019.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *