As portas fechadas do STF

Hoje, uma parte dos brasileiros, pessoas ligadas aos movimentos sociais e qualquer um/uma mais bem informado/a e com senso crítico acordou sob o peso do que aconteceu ontem à noite.
 
O STF que deixou passar Aécio com todas as acusações que tem contra ele, deixou passar vários cujos nomes todos sabemos, ontem, resolveu negar o Habeas Corpus a Lula. Provavelmente porque consideraram Lula uma pessoa perigosa à segurança nacional e a lei que possibilita que um condenado primário que não cometeu outros crimes possa cumprir sua pena em liberdade, isso não é adequado à figura de Lula, que precisa ser preso porque o seu delito provado e comprovado não pode ficar impune. E eles/elas que jantam e se deliciam com a companhia do nosso honesto presidente da República, têm de defender o Brasil desse cidadão perigoso. E a denúncia de um delator doido para ser solto e a convicção do Dr Moro bastaram para as condenações nas duas instâncias e agora a negação do Habeas Corpus. Qual será a próxima investida contra o povo brasileiro?
 
Nesse dia, o evangelho lido nas Igrejas de tradição católica (Lc 24, 36ss) diz que os discípulos/as de Jesus estavam em uma sala quando o próprio Jesus ressuscitado se deixou ver e tocar por eles. O texto correspondente em João (que leremos no próximo domingo) diz que eles estavam de portas fechadas e com medo. Parece que hoje o Brasil oficial e do STF é uma grande sala fechada e os adversários que o quarto evangelho chama impropriamente de Judeus nos ameaçam a vida e a liberdade. Jesus se deixou ver e trouxe aos seus a Paz e o Perdão. Deu-lhes o seu Espírito que os fez partir de novo com o medo transformado em coragem e a tristeza mudada em alegria.
 
Vamos partir e recomeçar. Como nos ensinou Zé Vicente a cantar: “Madrugada ê, galo cantou, A Paz se faz, a morte jaz, Jesus ressuscitou”.

 
(…) Os senhores da morte e da opressão, já não dormem e vencidos estarão,
A justiça da terra vai brotar E o divino em nós vai triunfar….
Salve a vida que a morte não matou, Salve a mão que no sangue não manchou,
Vamos todos cantar de alegria, Pois o Cristo venceu, é um novo dia…