Aposta de um cego

“Certo indivíduo cego d’um olho apostou, contra outro de boa vista, que via mais que elle. A aposta foi aceita. ‘Ganhei’, brada o torto; ‘pois eu vejo dous olhos em Vm., e Vm. só me vê um.”

;)

Anedota retirada de um livro de 1855, de autoria José da Fonseca e Pedro Carolino, relançado recentemente pela Casa da Palavra a partir do original e intitulado “O novo guia de conversação em Portuguez e Inglez”, oferecido “à estudiosa mocidade portugueza e brasileira”.