Ao cair da tarde

Share

Terra, chuva, Sol, semente

Astros, Lua iluminada

Rios, matas, passarada

Todo ser se faz vivente

Inclusive, a espécie Gente

Eis ao longe uma canoa

Parecendo até que voa

Canoeiro rema forte

Joga firme sua sorte

Pelas águas da lagoa.

Conduzida pelo vento

Se espreguiça, então, a tarde

(Já do Sol calor não arde)

Criatura em passo lento

Observa o firmamento

Surge a Lua, o Sol se vai

Ao contraste, exclama ai

Embriaga, a Natureza

Criatura deixa acesa

Dessa hora lembrar vai.

Share

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>