Alvimar Ribeiro dos Santos: um pai, mestre e profeta na luta pela terra e por direitos

Alvimar Ribeiro dos Santos - 11 07 2016Ontem, dia 11/07/2016, a Carlúcia e eu tivemos a alegria de visitar o Alvimar Ribeiro dos Santos, “o Alvimar da CPT”: um pai, mestre e profeta na luta pela terra e por direitos sociais no Norte e Noroeste de Minas Gerais.

Bem cedo chegamos ao Hospital Santa Casa, de Montes Claros, MG. Encontramos o Alvimar já com o papel da alta médica em mãos. Leila, a enfermeira que retirou a agulha do braço dele, disse: “Minha irmã de 15 anos ficou apenas 25 dias na fila de transplante de fígado. Ela recebeu um fígado há três meses e está muito bem. Com você também, Alvimar, vai dar certo. Deus está na guia.”

Alvimar recebeu alta médica e está inscrito na fila de espera por transplante de fígado. Ao chegar a sua casa, Alvimar abençoou e acolheu nos braços Maria Clara, a netinha dele e da Lúcia que completou ontem, dia 11/07/2016, dois meses de vida. Após tomarmos café, conversamos a manhã inteira. Registramos inclusive 130 minutos de Roda de Conversa com Alvimar, sua companheira Lúcia, os filhos Samuel e Daniel, a filha Graziela e Carlúcia, ex-agente da CPT ao lado de Alvimar por vários anos. Jônatas, o terceiro filho, estava trabalhando.

Amanhã, dia 13/07/2016, Alvimar da CPT, como carinhosamente é chamado por muitos, completará 61 anos de vida, bem vividos a serviço dos pobres da terra na luta pela terra e por muitos outros direitos sociais. Alvimar, aos 9 anos de idade, se tornou arrimo de família. Trabalhou com servente de pedreiro, vaqueiro, pedreiro e em várias outras profissões. “Já trabalhei em muita coisa, mas o que mais gostei foi de ser foi pedreiro”, diz Alvimar. Foi presidente da CUT regional de Montes Claros. Ingressou na CPT desde sua origem, em Minas, em 1978. Contribuiu para a criação de muitos Sindicatos de Trabalhadores Rurais (STR) no Norte e Noroeste de Minas. Nos quase 40 anos da CPT em Minas Gerais, Alvimar participou de inúmeras lutas por terra e por direitos sociais.

“Certa época, fizemos a conta e enumeramos 32 companheiros assassinados na luta pela terra no Norte e Noroeste de Minas, quase todos eram lideranças que, após muitas ameaças, foram assassinados pelo latifúndio, pelos fazendeiros, coronéis da região. Eu convivi com eles. Lutamos juntos e ajudei a enterrar vários deles. Cavamos o túmulo do Sr. Júlio Miranda, pai da Cida assassinado em Unaí, e fizemos a exumação do corpo dele, três dias após a morte, para que o delegado da polícia civil fizesse a perícia. Ajudei a lavar o corpo do Eloy Ferreira, presidente do STR de São Francisco, assassinado por grileiros de terra. Lutei ao lado de Rosalino e do povo indígena Xacriabá no início da luta deles, antes do CIMI chegar”, disse Alvimar.

Alvimar: “São inúmeras as cenas que não esqueço. Por exemplo, quando abracei uma criança que chorava desesperada no meio de despejo que a polícia promovia. A criança agarrava no meu pescoço e gritava: “socorro, tio Alvimar! Não deixe nos matar!” Eu sempre pergunto: como podem fazer despejos que agridem tanto as crianças? Por que nem as crianças são respeitadas?”

Vários indígenas foram visitar o Alvimar e rezaram sobre ele. O povo reconhece em cada terra conquistada no norte de Minas a participação de Alvimar. “Alvimar se tornou pai não apenas de Graziela, Jônatas, Daniel e Samuel, mas de muita gente que o chama de pai e lhe pede a bênção”, disse Lúcia, a esposa de Alvimar há 45 anos, sempre sorridente, uma bondade irradiante, mulher lutadora que sempre compreendeu as inúmeras vezes que teve que ficar só com os filhos, enquanto Alvimar estava no mundo lutando na defesa dos pobres da terra. “Uma vez Alvimar estava na região do município de São Francisco e teve que ficar sem poder voltar para casa por 15 dias, porque o Rio São Francisco estava muito cheio e não tinha como atravessar para o lado de cá. Naquela época chovia muito”, disse Lúcia.

Alvimar lutou muito para que o MST se instalasse no Norte de Minas também. Depois vamos publicar no youtube a Entrevista que gravamos com Alvimar Ribeiro dos Santos, “o Alvimar da CPT”, de fato, um pai, mestre e profeta na luta pela terra e por muitos direitos sociais no Norte e Noroeste de Minas Gerais.
Alvimar, parabéns por mais um aniversário, amanhã, dia 13/07/2016: 61 anos de vida bem vividos na luta em defesa dos direitos dos camponeses, sendo luz no mundo dos pobres, fermento na massa e sal na comida da luta pela terra e por tantos outros direitos.

Obs.: A quem teve a alegria e a responsabilidade de conviver com o Alvimar na luta pela terra e por direitos, sugiro que escreva e poste aqui, abaixo, o seu “comentário.”

Frei Gilvander Moreira, Frei e Padre Carmelita, mestre em Exegese Bíblica/Ciências Bíblicas, professor de Teologia Bíblica, assessor da CPT, CEBI, CEBs, SAB e Via Campesina; e-mail: [email protected] – www.gilvander.org.br – facebook: gilvander.moreira – www.twitter.com/gilvanderluis

Seções: Cidadania, Direitos sociais, Questão agrária.