A magica do Novembro Azul

 

A unidade de saúde acabava de abrir quando ele entrou. Não queria demorar-se pois tinha que trabalhar. A esposa insistiu tanto que ele decidiu ir. Ela estava cuidando da saúde do seu amado. Não queria que ele adoecesse. Teria que fazer o exame de sangue para evitar o câncer de próstata. Ele, se sentia bem. O trabalho era seu termômetro para a verificar sua qualidade de saúde. Como aos seus 52 anos, ainda trabalhava como um leão, não precisava de médicos.

–  Eu não vou. Eles estão doidos para meter o dedo na gente. Você entra na sala, e eles já estão até de luva. Retrucou falando para a esposa que insistia na sua ida para a consulta.

– Bobagens! Você nunca foi no doutor do posto. Os vizinhos o acham super atencioso. Vamos aproveitar a oportunidade que estamos em novembro e, que você não vai ao médico faz tempo. Afirmou ela, tentando o “tiro de misericórdia” de convencimento.

– Realmente não gosto de médicos! Vou por que não quero ficar de mal com você. Respondeu a esposa.

Não foi demorado a consulta. Ele entregou o  seu documento, encontraram rapidamente seu prontuário e já o colocaram na sala de acolhimento, verificando peso, altura e pressão arterial. Sentou-se para  esperar o chamado médico e em seguida, já estava de frente ao doutor -este sem luvas- e com uma pergunta inicial tipica de médico: “seu José o que lhe posso ajudar?”.

– Eu vim forçado pela minha esposa doutor. Ela quer que eu faça o exame da próstata para ver se eu tenho Câncer na Próstata. Eu me sinto ótimo. Não tenho nada mas, o senhor sabe né? Se não vem, se forma um brigueiro absurdo la em casa.

– Pelo visto ela estava certa na sua vinda. O senhor está acima do peso. Com uma altura de 1,65 m e um peso de 82 kg, o seu IMC fala de 30,1 e, mostra obesidade. Além disso, a sua pressão está alta. O senhor sabia disso?

– Claro que não doutor. Não sinto nada. Sei que estou um pouco gordo mas estou muito bem. Comenta demonstrando boa saúde.

O médico levanta-se da cadeira e aponta para a maca: “sente-se ali por favor que vou examinar-te”. Continua os exame físico e depois voltam a sentar-se.

– Vou pedir uns exames para o senhor e depois o senhor e depois voltamos a ver-nos.  Tudo bem?

Ele aceita com um afirmar de cabeça, fica pensativo, pensado por que o médico não o fez o toque retal, porém,  agradece a consulta, levanta e sai levando alguns pedidos de exames . No dia seguinte, os realiza e, posteriormente, retorna no mesmo médico. Na reconsulta, outros problemas brotaram. Glicemia aumentada, além do colesterol descompensado. Em duas consultas apenas, ele descobre que é hipertenso, diabético, hipercolesterolêmico e com uma obesidade para cuidar. Realizadas as receitas e orientações necessárias, o médico lhe pede que retorne em alguns dias para ver como seguiu o tratamento e se regularizaram as cifras descompensadas. Já na saída do consultório, o  homem retorna e pergunta: “Ah doutor! E o que disse o exame da próstata?

– Normal! Sua próstata está muito bem. Arrisco em dizer que o senhor nem precisava realizar o PSA. Em uma nova consulta lhe explicarei com detalhes.

Realmente o novembro azul é mágico. Apresenta a prevenção para o Câncer de próstata. Doença vice-campeã de adoecimentos por câncer em homens no Brasil e, apesar de não ser a que mais mata, tem um  poder misterioso de arrastar a multidão masculina para tentar descobri-la e, com isso, acabam sendo capturados em um outro universo de doenças que neles estavam ocultas, essas sim, campeãs mundiais de adoecimento e morte. Que a próstata continue sendo a isca para um dedo indicador que apontará  doenças que estavam escondidas que, quando não matam os homens, os aleijam.

E seu José agora segue com seus remédios para hipertensão, diabetes e colesterol. Tem cuidado com a dieta, faz exercícios físicos e, diferente de quando se sentia saudável, visita o médico regularmente para controlar as doenças.

Creditos foto: <a href=”https://br.freepik.com/fotos-vetores-gratis/mulher”>Mulher foto criado por pressfoto – br.freepik.com</a>

Brasileiro, Casado. Médico formado pela Escuela Latinoamericana de Medicina (ELAM) em Havana -Cuba. Especialista em Medicina de Família e Comunidade pela Secretaria de Saúde de Sinop (MT). É professor de medicina na Universidade Federal de Mato Grosso. Realiza promoção de saúde com quadro semanal em rádio e televisão em Sinop (MT) ademais de palestrante e músico.

Seções: Cotidiano, Saúde. Tags: .

Parabéns, vou compartilhar

  • Cada consulta um universo novo a se explorar! Não se faz medicina com livros ou fluxogramas. Da mesma forma, ter uma receita de bolo não significa saber fazer um bolo. Muitos simplesmente não conseguem o fazer mesmo com um livro em mãos.
    Parabéns professor, que continue sendo um médico de verdade!

  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *