8º Prêmio Arcos Íris de Direitos Humanos

 

 Nesta sexta-feira, 30 de outubro, será realizado o 8º Prêmio Arco-Íris de Direitos Humanos, no Teatro João Caetano, às 20 horas. Personalidades, instituições, empresas e pessoas com destaque na promoção dos direitos de LGBT ao longo de 2008/2009 serão premiados em 16 categorias. Convidada pelo Grupo Arco-Íris, a cantora Alcione prestigiará os convidados com show de abertura da premiação. Entre as atrações musicais estarão presentes também as cantoras Leila Maria e Zezé Motta, com participações especiais.

 

Dentre os premiados, destacam-se o ator Sérgio Britto, na Categoria Especial, por assumido publicamente sua homossexualidade; a Revista O Globo, pela capa com a drag queen Rose Bombom e o programa Profissão Repórter, que exibiu as dificuldades de um casal de lésbicas em receber dupla-maternidade de seus filhos, ambos na Categoria Imprensa; o rapper MV Bill, na Categoria Atitude, por ter utilizado imagens da Parada do Orgulho LGBT-Rio em seu mais recente trabalho; e o Google Brasil, na Categoria Responsabilidade Social, por criar layout especial em homenagem ao Dia Internacional do Orgulho LGBT (28 de junho), em sua homepage.

 

Abaixo segue a lista completa dos premiados, por categoria: 

 Categoria Especial: Sérgio Britto Ator que assumiu publicamente sua homossexualidade;

 

Atuação Judiciária: Dr. Mário Sérgio Leite  – O Juiz Mario Sergio Leite, da 2ª. Vara Cível de Barueri-SP, proferiu no último dia 8 de julho uma sentença condenatória à Rede TV e ao advogado Celso Vendramini, no processo movido contra eles pela psicóloga e escritora Valéria Melki Busin, 42, e pela servidora pública Renata Junqueira de Almeida, 44, determinando o pagamento de uma indenização por danos morais às lésbicas, no valor de 80 salários mínimos para ambas;

 

 Arte e Cultura: –Teatro de Bolsa Lorna Washington; – A peça teatral “Todo amor que houver nesta vida”;

 

Responsabilidade Social: Maria Augusta (In memmorian). Ouvidora geral da Petrobras desde 2003, Maria Augusta Carneiro Ribeiro imprimiu sua marca na companhia. Seguindo os princípios básicos de independência, neutralidade e imparcialidade, confidencialidade e informalidade, transformou a Ouvidoria Geral em uma importante ferramenta para a garantia da transparência, valorização dos princípios éticos e respeito aos Direitos Humanos e ao Pacto Global da ONU;

 Google Brasil – Layout especial em homenagem ao Dia Internacional do Orgulho LGBT (28 de junho)

 

Ações Legislativas: Câmara de Vereadores de Mesquita : De autoria do vereador Marcelo Biriba (PT do B), com incentivos da AGANIM – Associação de Gays e Amigos de Nova Iguaçu e Mesquita – foi aprovado o projeto de lei que institui a data 17 de maio como o Dia de Combate à Homofobia no município de Mesquita, na Baixada Fluminense. A votação ocorreu na última terça-feira (30/06), na Câmara Municipal de Mesquita. A Lei, que garante a importância de se respeitar a orientação sexual, irá contribuir para reduzir o quadro de violência e discriminação que sofre a população LGBT, não somente em Mesquita, mas em toda a região.

 

Estudos Acadêmicos: Fundação Perseu Abramo ( Nilmário Miranda, ex-Ministro da Secretaria Especial de Direitos Humanos); Produzida pela Fundação Perseu Abramo e pela a Fundação Rosa Luxemburgo, a pesquisa “Diversidade sexual e homofobia no Brasil, intolerância e respeito às diferenças sexuais nos espaços público e privado” constata um alto grau de homofobia no país. “Estávamos esperando um alto índice de preconceitos nessa pesquisa, porém o que nos assuntou foi a porcentagem. Foram 24% das pessoas que afirmaram ’sim, eu tenho preconceito’. Um número muito maior que qualquer outra pesquisa sobre qualquer outro segmento”, afirma o sociólogo Gustavo Venturi, um dos responsáveis pelo estudo, que entrevistou 2. 014 pessoas no Brasil.

 

Visibilidade Trans: A travesti e ex-presidente da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (ANTRA), Keila Simpson; comandou a Associação Nacional de Travestis e Transexuais (ANTRA) por quatro anos. Nesse período, deu passos largos na luta pelo direito à cidadania. Entre as conquistas, segundo a ativista “pequenas, mas fundamentais”, estão as parcerias com o Ministério da Saúde e da Educação e a criação de portarias, como a da utilização do nome social dentro do SUS e a autorização das cirurgias de readequação sexual.

Homem-trans e presidente da Associação da Parada do Orgulho LGBT de SP (APOLGBT), Alexandre Santos. Mais conhecido como Xande, Santos é coordenador geral da maior Parada LGBT do mundo.

 

Visibilidade Lésbica: Neusa Pereira das Dores – Coordena o Centro de Documentação e Informação Coisa de Mulher – Cedoicom é uma ONG fundada em 04 de Dezembro de 1994 por mulheres negras oriundas de várias inserções profissionais, com o propósito principal de contribuir com a eliminação de todas as formas de opressão sofridas por mulheres, principalmente por aquelas que têm maior probabilidade de serem discriminadas ou socialmente excluídas como mulheres negras, pobres, lésbicas, encarceradas, recém-libertas, meninas e adolescentes em situação de risco. Também fundou o Seminário Nacional de Lésbicas – Senale juntamente com Elizabeth Calvet)

 

Atitude: MV Bill  – Depois de seus depoimentos favoráveis à Campanha Não Homofobia!, o cantor MV Bill mais uma vez surpreende e utiliza imagens da Parada do Orgulho LGBT-Rio para a produção de seu mais novo DVD “Despacho Urbano”. As cenas compõem o *clip* da música *Só Deus pode me julgar*, como forma de ilustrar os versos: “E se uma guerra amanhã estourar / Sei qual lado eu vou estar. / É muito confuso é muito sinistro / Quem causa a miséria que jura ter amor a cristo./ E com seu ar superior não tem respeito pelo gay, / Pelo idoso pelo pobre e pelo preto”.

 

Marketing: Agência Giacometti Pela cessão do vídeo publicitário em prol da Campanha Não Homofobia, que bateu record de acessos no Youtube (http://www.youtube.com/watch?v=t5xXjlfFSFE); Desenvolvido pela agência de propaganda Giacometti (SP), o vídeo tem duração de 30s e faz uma analogia entre a língua portuguesa e a igualdade.

 

Ativismo LGBT : Toni Reis e David Harrad Presidente da Associação de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais, Toni Reis e seu companheiro David Harrad (estrangeiro) são os maiores exemplos da luta pela união civil brasileira

 

Organização Comunitária: Grupo Leões do Norte; O Movimento Gay Leões do Norte é entidade de defesa e promoção dos direitos humanos, na luta pela defesa do meio ambiente e da ecologia, pelo fim da exploração do homem pelo homem, em defesa de gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais, visando assegurar a estes os direitos e garantias fundamentais da pessoa humana, e, no cumprimento de suas atividades e objetivos, não adota nenhuma orientação religiosa nem faz distinção de nacionalidade, credo, cor, sexo, orientação sexual, idade, ideologia, raça ou etnia.

 

Ativismo na luta contra Aids: Fátima Castro – A Assistente social Fátima Castro é figura conhecida na cidade pela sua luta para ajudar as pessoas portadoras de HIV positivo (Casa Irmãos da Solidariedade de Campos)

Maria Aparecida Lemos (Movimento Nacional de Cidadãs Soropositivas); Carioca e professora aposentada, desenvolve trabalhos de prevenção mulheres que vivem com HIV/Aids. Por ser deficiente visual, em decorrência da doença, reafirma a importância da auto estima para enfrentar a epidemia.

 

Políticas Públicas: Iracy Gallo – Secretária de Educação do Pará (pela aprovação da portaria que estabelece a utilização do nome social de travestis e transexuais no diário de aula das escolas do Estado do Pará).

 

Voluntariado: Jane Di Castro  – Voluntária do Grupo Arco-Íris desde 1993 e da Parada do Orgulho LGBT desde 1995. A atriz-cantora-transformista Jane Di Castro. Figura bastante conhecida no meio gay, principalmente entre cariocas, Jane não revela sua idade (diz que tem mais de 50 parafraseando a estilista francesa Channel), mas é uma das fundadoras da Parada do Rio e uma expert no assunto “hino nacional”. A transformista é a primeira no Brasil a cantá-lo na sede de um governo do estado (Palácio Laranjeiras, no Rio). Todos os anos, ela abre ainda a Parada carioca, com a responsabilidade de cantar – corretamente, que fique bem claro – o hino nacional para mais de dois milhões de pessoas em cima de um trio.

 

Imprensa: Jornal O Globo – Caderno Ela Matéria com a drag queen Eula Rochard; Jornal O Globo – Revista O Globo Matéria de capa com a drag queen Rose Bombom; Programa Profissão Repórter – Rede Globo de Televisão Exibiu as dificuldades da menina trans de 14 anos e do casal de lésbicas que estavam em busca pela dupla maternidade de seus filhos; Rádio Justiça (DF) Produziu o 1º programa de rádio dedicado à comemoração do dia 28 de Junho, Dia Internacional do Orgulho LGBT.

Share

Comentários

comentários