Francisco: oração

imagesHomilia do Papa Francisco na missa celebrada no dia 16 de outubro de 2016

No início da celebração de hoje, dirigimos ao Senhor esta oração: “Cria em nós um coração generoso e fiel, para que possamos servir sempre com lealdade e pureza de espírito.”

Sozinhos, nós não somos capazes de criar emnós um coração desse tipo. Só Deus pode fazer isto. Eis por que o pedimos na oração, invocando a Ele como um dom, como criação d´Ele. É deste modo que fomos inroduzidos no tema da oração, que está no centro das leituras bíblicas deste domingo, e que também nos interpela, a nós aqui reunidos, para a canonização de alguns novos santos e santas. Eles alcançaram a meta, tiveram um coração generoso e fiel, graças à oração: rezaram com todas as suas forças, lutaram e venceram.

Portanto, devemos rezar como Moisés, que foi sobretudo um homem de Deus, homem de oração. Hoje, nós o vemos no episódio da batalha conra Amalec, de pé no monte, com os braços levanados. Mas, fazendo iso sozinho, por conta do peso, seus braços baixavam, pelo cansaço, e neste momento, o povo levava a pior. Então, Aarão e Cur fizeram sentar-se a Moisés sobre uma pedra, e seguravam seus braços levantados, até à vitória final.
Este é o jeito espiritual que a Igreja pede de nós, não para vencer a guerra, mas para conquistar a paz!

No episódio de Moisés, há uma mensagem importante: o empenho na oração requer que nos ajudemos uns aos outros: o cansaço é inevitável: às vezes, não conseguimos ir mais adiante, mas com o apoio de nossos irmãos, nossa oração pode ir adiante, até que o Senhor finde Sua obra.

São Paulo, escrevendo ao seu discípulo e colaborador Timóteo, recomenda-lhe que permaneça firme naquilo que aprendeu e em que crê firmemente. Entretanto, Timóteo também não podia fazer isto, sozinho: não se vence a batalha da perseverança, sem sem a oração. Mas, não uma oração esporádica, apenas vez por oura,, mas do modo como Jesus enisa, no Evangelho de hoje: “Orem sempre, sem nunca se cansarem.” Este é o modo de agir cristão: sermos firmes na oração, para permanecermos firmes na fé e no testemuho. E eis. Mais uma vez, uma voz denro de nós: “Mas, Senhor, como é possível não cansarmos? Somos seres humanos… Até Moisés se cansou!” É verdade, todos nós nos cansamos. Mas, não estamos sozinhos: fazemos parte de um Corpo: somos membros do Corpo de Cristo, a Ireja, cujos braços se levantam em direção ao Céu, dia e noite, graças à presença de Cristo Ressuscitado e do Seu Santo Espírito. É somente na Igreja, e graças à oração da Igreja, que nós podemos permanecer firmes na fé e no testemunho.

Escutamos a promessa de Jesus, no Evangelho: “Deus fará justiça aos Seus eleitos, que dia e noite Lhe dirigem seu grito.” Eis o mistério da oração: grite, sem se cansar, e, se você se cansar, peça ajuda para manter as mãos levantadas. Esta é a oração que Jesus nos revelou e nos deu, no Espírito Santo. Orar não é refugiar-nos num mundo ideal, não é evadir-nos para uma falsa quietude egoísta. Ao contrário, orar é lutar, e deixar que o Espírito Santo também ore em nós. É o Espírito Santo Quem nos ensina a orar, Quem nos guia na oração, é Ele Quem nos faz orar como filhos.

Os santos são homens e mulheres que vão fundo no mistério da oração. São homens e mulheres que lutam com a oração, deixando que o Espírito Santo ore e lute neles, lutando até ao fim, com odas as suas forças. E vencem! Mas, não vencem sozinhos: o Senhor vence neles e com eles.

Também, estas sete testemunhas que hoje foram canonizadas, combateram o bom combate, a boa batalha da fé e do amor, com a oração. Por isto, permaneceram na fé, com o coração generoso e fiel. Que pelo seu exemplo e pela sua intercessão, Deus também nos conceda que sejamos homens e mulheres; que, dia e noite, dirijamos a Deus o nosso grito, sem nos cansarmos; para que deixemos que o Espírito Santo ore em nós, e que rezemos apoiando-nos no dia-a-dia, de modo a permanecermos de braços levantados, a fim de que vença a Divina Misericórdia.

https://www.youtube.com/watch?v=Y4vKg5itu30
(Do minuto 55:19 ao minuto 1:02:48 )
Trad.: AJFC