Papa Francisco: Em Jesus podemos encontrar uma vida nova, que dura para sempre!

papaMensagem do Papa Francisco no domingo de Páscoa, 27 de março de 2016

“Louvai ao Senhor, porque Ele é bom, porque eterna é a Sua misericórdia!”

Caros irmãos e irmãs, Feliz Páscoa!

Jesus Cristo, encarnação da misericórdia de Deus, por amor morreu na cruz, e pela morte ressuscitou. Por isto, hoje proclamamos: “Jesus é o Senhor!” E Sua ressurreição realiza plenamente a profecia do Salmo: “A misericórdia de Deus é eterna, e seu amor é para sempre. Ele já não morre. Nele podemos confiar totalmente, e rendamos-Lhe graças porque por nós Ele desceu até ao fundo do abismo.

Frente às intempéries espirituais e morais da humanidade, diante do vazio que se abre nos corações, a provocar ódio e morte, só uma infinita misericórdia pode nos dar salvação. Só Deus pode preencher com o Seu amor esses vazios e esses abismos, e permitir que não afundemos, mas que juntos caminhemos para a terra da liberdade e da vida.

O jubiloso anúncio da Páscoa – “Jesus, o crucificado, não se encontra aqui. Ressuscitou” – nos oferece a consoladora certeza de que foi vencido o abismo da morte, e de que foram superados o luto, o pranto e o sofrimento. O Senhor, que sofreu o abandono de Seus discípulos, o peso de uma condenação injusta e a vergonha de uma morte infame, agora nos torna partícipes de Sua vida imortal, e nos concede Seu olhar de ternura e compaixão com os famintos e os sedentos, com os estrangeiros e os encarcerados, os marginalizados e os descartados, as vítimas da exploração e da violência.

O mundo está cheio de pessoas que sofrem no corpo e no espírito, enquanto o noticiário jornalísticos se enche de notícias sobre crimes terríveis que, não raro, se cometem entre as quatro paredes de casa, bem como de conflitos armados, em larga escala que submetem populações inteiras a provas indescritíveis.

Cristo Ressuscitado aponta caminhos de esperança para a querida Síria, país golpeado por um longo conflito, com o seu triste cenário de destruição, morte, desprezo pelo direito humanitário e esfacelamento da convivência civil. Ao poder do Senhor Ressuscitado confiamos os colóquios em andamento, a fim de que com a boa vontade e a colaboração de todos, possam ser colhidos frutos de paz, e se viabilize a construção de uma sociedade fraterna, que respeite a dignidade e os direitos de cada cidadão. A mensagem de vida que ecoa da boca do anjo, junto à pedra levantada do sepulcro, desfaça a dureza dos corações e promova um fecundo encontro de povos e de culturas, nas outras zonas do Mediterrâneo e do Oriente Médio, em particular no Iraque, no Iêmen e na Líbia.

A imagem do homem novo, que resplandece no rosto de Cristo, favorece na Terra Santa a convivência entre Israelenses e Palestinos, bem como a paciente disponibilidade e o empenho cotidiano para se edificar as bases de uma paz justa e duradoura, numa negociação com tramitação direta e sincera. Que o Senhor da Vida acompanhe os esforços envidados para se chegar a uma solução definitiva para a guerra na Ucrânia, inspirando e fortalecendo também as iniciativas de ajuda humanitária, dentre as quais a libertação de pessoas detidas.

O Senhor Jesus, nossa paz, que ressuscitando, venceu o mal e o pecado, estimule, nesta Festa de Páscoa, nossa proximidade com as vítimas do terrorismo, forma cega e extremada de violência, que não para de espalhar sangue inocente, em diversas do mundo, como sucedeu nos recentes atentados na Bélgica, na Turquia, na Nigéria, noTchad, em Camarões, na Costa do Marfim e no Iraque, e que tenham sucesso os fermentos de esperança e as perspectivas de paz da África – penso, em particular, no Burundi, em Moçambique, na República Democrática do Congo e ao Sul do Sudão, marcados por tensões políticas e sociais.
Com as armas do amor, Deus venceu o egoísmo e a morte; Seu Filho Jesus é a porta da misericórdia, a todos escancarada. Que Sua mensagem pascal se projete sempre mais sobre o povo venezuelano, nas condições difíceis em que se encontra para viver, e sobre quantos têm em suas mãos os destinos do País, para que se possa trabalhar em vista do Bem Comum, buscando espaços de diálogo e colaboração com todos. Por toda parte, se empenhe em favorecer a cultura do encontro, da justiça e do respeito recíproco, que só podem garantir o bem-estar espiritual e material dos cidadãos.

O Cristo Ressuscitado, anúncio de vida para toda a humanidade, ressoa através dos séculos e nos convida a não esquecermos os homens e as mulheres em marcha, em busca de um futuro melhor, uma multidão cada vez mais numerosa de migrantes e refugiados – entre os quais muitas crianças – fugindo da guerra, da fome, da pobreza, da injustiça social. Esses nossos irmãos e irmãs, em sua estrada, vezes sem conta, encontram a morte ou então a recusa por parte de quem poderia oferecer-lhes acolhida e ajuda A agenda da próxima cúpula humanitária mundial não deixe de por no centro a pessoa humana com a sua dignidade e de elaborar políticas capazes de assegurar assistência e proteção às vítimas dos conflitos e outras emergências, sobretudo os mais vulneráveis e muitos dos perseguidos por motivos étnicos e religiosos.

Neste dia glorioso, rejubile-se a terra inundada por tão grande esplendor, e no entanto, tão maltratada e vilipendiada por uma exploração ávida por lucro; que altera o equilíbrio da natureza. Penso especialmente naquelas áreas impactadas pelos efeitos das mudanças climáticas, que, não raro, provocam secas ou violentas inundações, com consequentes crises alimentares em diversas partes do planeta.

Com os nossos irmãos e irmãs que são perseguidos por sua fé e sua fidelidade ao nome de Cristo e diante do mal que parece levar a melhor na vida de muitas pessoas, voltemos a escutar a consoladora palavra do Senhor: “ Não tenham medo: Eu venci o mundo!” Hoje é o dia resplendoroso desta vitória, porque Cristo venceu a morte e com a Sua ressurreição, fez resplandecer a vida e a i mortalidade. Ele nos fez passar da servidão à liberdade, da tristeza à alegria, do luto à festa, das trevas à luz, da escravidão à redenção. Por isso digamos diante dEle: Aleluia!

A todos quantos em nossas sociedades perderam a esperança e o gosto de viver, aos anciãos que jazem na solidão sentem diminuir sua força, aos jovens a quem parece faltar o futuro, a todos esses dirijo, mais uma vez, as palavras do Ressuscitado: “ Eis que Eu faço novas todas as coisas… àquele que tiver sede darei de graça a água da fonte da vida”. Esta mensagem tranquilizadora de Jesus ajude cada um de nós a recomeçar, com mais coragem e esperança, a construir caminhos de reconciliação com Deus e com os irmãos. Quanta necessidade temos disto!
https://www.youtube.com/watch?v=ql1isLQcJD4
(Do minuto 10:51 ao minuto 24:49)
Trad. AJFC