Enquanto houver burguesia, não vai haver poesia.

Cazuza, “Burguesia”